CFM assegura o transporte da produção agrícola

O Caminho de Ferro de Moçâmedes (CFM) está preparado para eventuais solicitações de produtores agrícolas para o transporte da produção local, agora em fase de colheita, já que estão suspensos os comboios de passageiros, assegurou ontem o Presidente do Conselho de Administração da Empresa, Daniel Quipaxe.

Daniel Quipaxe declarou que a ferroviária pública está apenas a operar, desde Março, com composições de carga, mormente o transporte de granito do Lubango para o Namibe e, na posição contrária, combustível e carga contentorizada.

Fez saber que ainda não têm solicitação para o transporte de carga no troço Lubango/Menongue, daí não realizarem comboios de carga no referido traçado, mas por estarem na época de colheita da produção agrícola estão a sondar os produtores para a possibilidade de operar no transporte da produção ao longo da linha.

“Teremos gastos com combustíveis, lubrificantes e outros materiais que vão pesar financeiramente na tesouraria da empresa, caso não se justifique o transporte dessa produção. Mas estamos a estudar para ver as solicitações ao longo do traçado e a partir daí programarmos os comboios para este troço, Lubango/Menongue”, completou.

Quanto ao transporte de passageiro não está a ser feita pela dificuldade de assegurar o distanciamento social exigido, uma vez que o comboio transporta diversas pessoas e não é possível observar o referido factor, daí que os três governos das províncias, por onde passa o CFM, nomeadamente Huíla, Namibe e Cuando Cubango decidiram manter a suspensão da transportação de passageiros até a situaçao normalizar.

Daniel Quipaxe fez saber que estão garantidas todas as medidas de biossegurança para o pessoal que está em serviço, uma a actividade a ser garantida actualmente por 50% da capacidade dos seus funcionários, por conta das implicações do estado de emergência, que já está na sua segunda prorrogação.

Pelos menos 14 mil e 440 toneladas de carga, entre granito, combustível e lubrificantes foram transportadas nos últimos 21 dias, de 22 de Abril a 12 de Maio, no traço Lubango/Namibe e vice-versa pelo CFM.

De Moçâmedes, num traçado de 850 quilómetros, o CFM passa por dois municípios do Namibe, cinco da Huíla e dois do Cuando Cubango, com altos índices de produção, sobretudo Cuvango, Matala, Jamba e Quipungo (Huíla), assim como Menongue e Cuchi (Cuando Cubango).

error: Content is protected !!