Nigéria retém avião britânico por violar regras de proibição de voos por coronavírus

A Nigéria apreendeu um avião operado por uma companhia britânica por, supostamente, violar uma proibição de voo imposta para impedir a propagação do coronavírus, disse o ministro da Aviação, no Domingo. 

Os voos de passageiros para o país, à excepção dos que evacuam pessoas ou repatriam cidadãos nigerianos, foram proibidos por semanas. A proibição permanecerá em vigor até pelo menos 4 de Junho. 

São permitidos voos para serviços essenciais, como entrega de suprimentos e itens para uso humanitário. 

O ministro da Aviação, Hadi Sirika, disse, no Twitter, no Domingo, que um avião foi apreendido após a quebra das regras. 

Sirika disse que uma empresa britânica “recebeu aprovação para operações humanitárias, mas lamentavelmente os surpreendemos a realizar voos comerciais”. 

Acrescenta a mensagem que “a embarcação é apreendida, a tripulação está a ser interrogada. Deve haver pena máxima. ” 

James Oduadu, porta-voz do Ministério da Aviação, disse à Reuters mais tarde numa entrevista por telefone que o avião era operado por uma empresa chamada FlairJet. 

A FlairJet, empresa britânica de charter privada afiliada à Flexjet, afirmou em comunicado que o assunto é uma “situação em evolução”. 

“Continuamos a trabalhar, respeitosamente, com as autoridades nigerianas para resolver esta situação”, afirmou. 

error: Content is protected !!