Covid-19: Angolanos desenvolvem sistema estatístico

Dois estudantes angolanos em Cuba, finalistas da Faculdade de Tecnologia de Saúde, pela Universidade de Ciências Medicas de Havana, desenvolveram um “Sistema de Informação Estatístico - SIE”, com o objectivo de recolher, processar e apresentar informação sobre a Covid-19.

Concebido por Mauro de Melo e Eurizia Faria Lisboa, o projecto destina-se essencialmente aos pacientes que apresentam sintomas relacionados ao novo coronavírus, atendidos nas instituições dos diferentes níveis de atenção sanitária para uma melhor tomada de decisão pelos órgãos competentes.

Este sistema, refere uma nota, permite o rastreio de pessoas suspeitas de contágio com a doença, desde as zonas urbanas até às periferias, sendo que para o nível primário o SIE-Info Covid-19 se afigura como uma “grande alavanca por ser onde se encontra a grande debilidade do sistema de saúde angolano”.

“Para mitigar a problemática da pandemia no primeiro nível de atenção sanitária (Postos e Centros de Saúde), elaborou-se um conjunto de modelos sanitários para a captação de dados assim como estratégias que podem ser levadas a cabo nos bairros, comunas e diferentes municípios do país”, indica.

Já para a segunda e terceira etapas de atenção em saúde, os estudantes salientam que existem estratégias de actuação, modelos e procedimentos tanto para médicos como para profissionais de estatística, assim como indicadores que possam ajudar nos cálculos de dados e apresentação de informação.

“Com o surgimento de casos de Covid-19, entre as comunidades, será necessário o apoio das unidades hospitalares nos diferentes níveis de atenção. Para tal, o controlo no processamento da informação associada à enfermidade dentro do território nacional será imprescindível”, alertam os coautores.

Para o efeito, acrescentam os finalistas citados no documento a que a Angop teve acesso ontem, desenhou-se, como proposta para a recolha e processamento de informação dentro das unidades hospitalares, esse Sistema de Informação Estadístico Temporário Parcial, denominado “Info. Covid-19”.

“Aproveitamos a oportunidade para felicitar o Executivo, o Ministério da Saúde, a Comissão Multissectorial e todos aqueles que dia e noite trabalham, arduamente, para o combate desta pandemia, assim como incentivamos todos os cidadãos a tomarem as medidas de precaução à Covid-19”, lê-se no informe.

Os autores

Mauro A. de Melo Manuel e Eurizia E. Faria Lisboa são dois estudantes angolanos, finalistas do 5° ano do curso de Sistemas de Informação em Saúde, pela Universidade de Ciências Medicas de Havana, Faculdade de Tecnologia de Saúde, que neste momento se encontram em Cuba.

Em Julho/Agosto de 2019, os dois “gestores de Informação de Saúde” realizaram práticas profissionais no Gabinete de Estudos e Planificação Estatística (GEPE) do Ministério da Saúde de Angola (MINSA), tendo passado também pelo Centro de Processamento de Informação, da Direcção Nacional de Saúde Pública.

Elaboraram um trabalho científico intitulado “Plano de Acção sobre a Situação Actual do Sistema de Informação de Saúde de Angola” no mês de Fevereiro do corrente ano, discutido na Jornada Científica do Departamento de Sistemas de Informação de Saúde da Faculdade de Tecnologia de Saúde em Havana.

De acordo com a nota, a iniciativa mereceu o prémio “Relevante da Jornada Científica, por se classificar na primeira posição.

“A nossa grande preocupação em relação à Covid-19 consiste, especificamente, nas localidades periféricas do país, cujas características podem ser uma ameaça e um grande desafio ao Sistema de Saúde Angolano, visto que as mesmas são de difícil acesso”, disseram.

Essa inquietação, segundo os dois estudantes, deriva do facto de estas zonas serem de construções desordenadas, de alta densidade populacional e possuírem poucas unidades sanitárias dos níveis primários, pelo que remeteram já o SIE-Info Covid-19 à atenção do Ministério da Saúde.

error: Content is protected !!