Fundo das Nações Unidas doa 25 mil kits de bio-segurança para zungueiras

O Fundo das Nações Unidas Para a População apoiou o MASFAMU com 25 mil kits de bio-segurança contra a Covid-19. A ministra do MASFAMU, Faustina Alves, procedeu à entrega de um total de 10 mil kits ao Governo da Província de Luanda, para serem distribuídos às vendedoras ambulantes

A entrega de kits de biosegurança enquadra-se nas acções de reforço da prevenção à Covid-19 que o Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher (MASFAMU) está a desenvolver em parceria com o Fundo das Nações Unidas Para a População, que apoiou a instituição com 25 mil kits de higiene para serem distribuídos em todas as províncias do país.

De acordo com Faustina Alves, o material destina-se a pessoas em situação de vulnerabilidade, de modo geral, e em particular às mulheres zungueiras e vendedoras, para que possam observar as medidas preventivas.

No acto da entrega ao Governo da Província de Luanda (GPL), a ministra da Acção Social Família e Promoção da Mulher explicou que o Fundo das Nações Unidas Para a População está também a apoiar a instituição no funcionamento do call center que atende pelas linhas 145 e 146, neste contexto de Covid-19.

A central funciona com quatro cabinas e conta com o apoio de 12 operadores, distribuídos em três turnos, uma psicóloga, assistente social e uma jurista. Na mesma senda, o trabalho desenvolvido pela Associação de Mulheres de Carreira Jurídica tem sido fundamental no apoio em questões de violência doméstica.

Juntou-se ao MASFAMU o Ministério da Saúde que, numa acção conjunta, colocou à disposição mais 21 psicólogos clínicos, que estão a apoiar as pessoas que precisam de ajuda psicológica durante a fase de confinamento social, numa parceria que está a contribuir para o equilíbrio do estado psico-emocional das pessoas neste período.

Afirmou que o serviço de call center está aberto para denúncias de actos de violência e garantia de apoio psicológico às pessoas que necessitam.

“Reforço o apelo à denúncia de todos os actos de violência. As famílias devem continuar em casa. Se tiverem de sair, só em caso de extrema necessidade; lavem sempre as mãos com água e sabão; cumpram as medidas de bio-segurança; cuidem dos idosos, pessoas com deficiência e das crianças”, frisou, Faustina Alves.

Ainda sobre a Covid-19, um inimigo invisível, que continua a fazer muitas vítimas mortais, a desestruturar famílias, aumentando, assim, a vulnerabilidade das mesmas, a ministra reforçou a necessidade da união e harmonia familiar através do diálogo, compreensão e respeito mútuo.

“Endereço também uma palavra de apreço às famílias que, neste momento, vivem situações difíceis em consequência de um dos seus membros estar infectado pelo novo Coronavírus, bem como para aquelas famílias que perderam os seus entes queridos. Encorajo a todos a prosseguirem com a luta, acatando as orientações que estão a ser divulgadas pelas autoridades do país”, finalizou.

 

error: Content is protected !!