Polícia de Hong Kong dispara gás lacrimogêneo em manifestantes contra lei de segurança

A Polícia de Hong Kong disparou canhões de água e gás lacrimogêneo para dispersar milhares de pessoas que, desafiando as restrições impostas para conter o coronavírus, se reuniram, no Domingo, para protestar contra o plano de Pequim de impor directamente leis de segurança nacional à cidade.

Num retorno da agitação que assolou o centro financeiro no ano passado, multidões lotaram a movimentada área comercial de Causeway Bay, onde cânticos de “independência de Hong Kong, a única saída” e outros slogans ecoavam pelas ruas.

Para os líderes do Partido Comunista, os apelos à independência da cidade governada pela China são um anátema, e a nova estrutura de segurança nacional proposta enfatiza a intenção de Pequim “de impedir, impedir e punir” esses actos.

Ao anoitecer, surgiram impasses esporádicos entre a polícia e os manifestantes no distrito de bares e vida nocturna de Wan Chai, perto do coração do distrito comercial.

As leis de segurança também causaram calafrio nos mercados financeiros e foram repreendidas por governos estrangeiros, grupos de direitos humanos e alguns lobbies de negócios.

“Estou preocupado que, após a implementação da lei de segurança nacional, eles sigam os que foram acusados anteriormente e a polícia fique mais fora de controlo”, disse Twinnie, 16, estudante do ensino médio que se recusou a dizer o seu sobrenome.

error: Content is protected !!