Dossier enganador não contém provas de ligação entre Covid-19 e laboratório, diz mídia australiana

Um documento do Departamento de Estado dos Estados Unidos, que foi usado por alguns jornais australianos para vincular a Covid-19 a um laboratório, não contém provas sólidas, mas sim se baseia em informações publicamente disponíveis, noticiou a Australian Broadcasting Corporation (ABC) na Terça-feira.

O dossier apareceu na mídia de propriedade da News Corp Australia no início deste mês e foi presumido como inteligência de alto nível de um governo ocidental.

A embaixada dos EUA em Canberra realizou reuniões com autoridades australianas para esclarecer o dossier como um prómemória, destinado apenas ao uso nos bastidores, de acordo com a ABC.

“Um pró-memória é um documento diplomático que pretende ter um status essencialmente não oficial, quase negável e usado basicamente para gerar discussões com governos estrangeiros. Ele não tem enorme peso ou credibilidade”, disse à ABC Rory Medcalf, chefe da Faculdade de Segurança Nacional da Universidade Nacional da Austrália.

A ABC citou vários altos funcionários do governo australiano que pediram anonimato, mas confirmaram a verdadeira natureza do documento, dizendo que ele foi amplamente distribuído pelo Departamento de Estado dos EUA.

Outras áreas da mídia australiana, bem como líderes políticos, estão entre os que criticam o uso do documento para criar conteúdo enganoso e lançar calúnias infundadas contra o tratamento do surto da Covid-19 pela China e sua origem.

leave a reply