15 coisas que vão mudar a nossa vida

UM. Muito menos deslocações. As reuniões por vídeo vieram para ficar. O teletrabalho é o futuro. Adeus reuniões presenciais e almoços de trabalho.

DOIS. Trabalhar a partir de casa passa a ser normal. As casas vão ter um escritório e os contratos laborais vão mudar. Mais outsourcing, mais trabalho pontual, mais meios de controlo. Isto vai implicar ainda mais tecnologia. Milhões de m2 de espaços de trabalho a se transformar noutras actividades.

TRÊS. Filas digitais. Vamos voltar aos guichés do antigamente mesmo nas instituições públicas. A fila vai ser no vídeo da Internet. O atendimento ao público vai acabar.

QUATRO. Mais espaço. Vai aumentar a distância entre as pessoas. Passeios mais largos e ruas mais estreitas. Esplanadas no lugar de restaurantes. Menos lugares nos transportes públicos. Novos meios de transporte privados, mais carros elétricos e muitas bicicletas.

CINCO. Menos beijos e passar bens. Menos cumprimentos pessoais, mais reserva em todos contactos. Mais cerimónia entre pessoas. Tende a mais formalidade.

SEIS. Fim do dinheiro físico. Os meios digitais de pagamento vão ser a única forma de movimentar capital. O block chain vai fazer do Tempo uma moeda universal.

SETE. . Mais conforto em casa. As casas vão ser maiores com mais área por pessoa. Existirão lugares próprios para trocar de roupa e calçado à entrada.

OITO. O networking é a maior conquista da pandemia. As soluções de trabalho em rede vão revolucionar os negócios e criar novos paradigmas de confiança. Isto vai mudar a representatividade democrática.

NOVE. Cidades mais pequenas. Menos casas e menos concentradas. Para a defesa contra novas epidemias serão favorecidas soluções de baixa densidade.

DEZ. Mais lazer e cultura. Mais horas para apreciar a vida, menos tarefas consumidoras de tempo e esforço e menos burocracia inútil. Grandes escritórios serão galerias de arte.

ONZE. Menos poluição. As deslocações e os eventos serão apenas culturais e o turismo será mais responsável. Os eventos de negócios vão ser todos online.

DOZE. Mais equidade e igualdade. O trabalho à distância vai diminuir drasticamente a perceção sobre raça, credo e política.

TREZE. Mais navios de cruzeiro. O Turismo vai entrar nos mares os grandes cruzeiros de férias serão opções seguras para toda a família.

CATORZE. O espaço deixa de ser uma grandeza física relevante. Tudo será medido em tempo, até o dinheiro.

QUINZE. Os casamentos vão poder ser virtuais, à distância e por correspondência. Como antigamente.

José Manuel Diogo

leave a reply