Cerca sanitária do Futungo pode ser levantada hoje

Numa altura em que o país regista 77 casos confirmados do novo Coronavírus (Covid-19), entre os quais quatro óbitos, 18 recuperados, e 55 casos activos, as autoridades sanitárias dizem que estão reunidas as condições para se levantar a cerca sobre o bairro Futungo

Franco Mufinda, secretário do estado para a Saúde Pública

Os moradores do bairro Futungo, sector das casas brancas, que estão impedidos de sair das suas residências há várias semanas, em consequência de uma certa sanitária instaurada para prevenção de uma eventual propagação da Covid-19, poderão ser liberados na tarde de hoje pelas autoridades.

A possibilidade de o levantamento deste cordão sanitário ser feito hoje foi avançada ontem, à imprensa, pelo secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda.

De salientar que os moradores deste sector encontram-se confinados nas suas residências há mais de 25 dias, sob fortes medidas de segurança, depois de as autoridades sanitárias terem detectado que o Caso 26 manteve contactos com os seus vizinhos. Deste modo, transformou o bairro numa zona de potencial circulação deste vírus que já ceifou milhares de vidas humanas pelo mundo.

O governante anunciou, por outro lado, que mais quatro casos positivos de transmissão local da Covid-19 foram registados nas últimas 24 horas. Trata-se de quatro cidadãos próximos ao “Caso 31”, residentes dentro do perímetro em que foi instaurada a cerca do bairro Hoji ya Henda, município do Cazenga, em Luanda.

Dos 55 casos activos clinicamente, que se encontram a ser assistidos em unidades sanitárias de referência, um requer atenção especial, segundo informações prestadas por Franco Mufinda na habitual sessão de actualização de dados sobre a pandemia no país. Dos 77 casos registados, 49 são de transmissão local. “Caso31” é a forma como as autoridades sanitárias designaram um cidadão da Guiné Conacri que não cumpriu a quarentena domiciliar assim que chegou do exterior do país e acabou por transmitir o vírus a outras pessoas sem saber.

Assim sendo, Franco Mufinda esclareceu que o primeiro e segundo infectados, dos quatro da última contagem, são duas cidadãs, de 25 e 49 anos de idade, e o terceiro e o quarto são dois cidadãos do sexo masculino, com 16 e 35 anos de idade. Todos eles já se encontram internados num dos centros de tratamento para o devido seguimento.

Por outro lado, o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) não registou, nas últimas 24 horas, qualquer denúncia de violações de quarentena domiciliar. No entanto, recebeu 51 chamadas e uma delas era uma denúncia de contacto directo. As restantes, 50 foram pedidos de informação sobre a Covid-19.

“Do laboratório, até ontem contavam- se mais de 10 mil amostras recolhidas, sendo, destas, 77 positivas, 8.195 negativas e o resto se encontra em processamento”, disse.

O governante disse ainda que se encontram em quarentena institucional em todo o país 1.070 pessoas e que os casos suspeitos investigados são 453. Já os contactos sob vigilância são 1.132.

Mais equipamentos de bio-segurança

Franco Mufinda declarou que a Comissão Multissectorial de Prevenção e Combate à Covid-19 continua a distribuir material de bio-segurança e medicamentos, bem como equipamentos hospitalares com o intuito de dar resposta a outras endemias em cada província do país.

No que concerne a actividades realizadas por províncias, disse que se destacam as palestras de sensibilização.

Por outro lado, disse que decorre a formação contínua de profissionais para o uso de equipamentos de protecção individual e colectiva, bem como a busca activa de casos no Hospital Geral do Uíge e desinfecção de espaços públicos. “Apelamos uma vez mais, atendendo que ultimamente quase diariamente reportamos casos, há todo o interesse de se observar as medidas de sempre, como a desinfecção das mãos, o uso de máscara e observar o distanciamento físico, que é extremamente importante para evitar que tenhamos cada vez mais casos. Ficar em casa quando for necessário”, invocou.

De recordar que o novo Coronavírus (SARS-CoV-2), responsável pela pandemia da Covid-19, surgiu na China em Dezembro de 2019. O surto espalhou-se pelo mundo e já vitimou centenas de milhar de pessoas, tendo levado a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia global.

error: Content is protected !!