Justiça britânica decidirá entre Maduro e Guaidó no caso “ouro venezuelano”

A Justiça britânica decidiu, nesta Quinta-feira, que determinará quem reconhece como o legítimo presidente da Venezuela, entre Nicolás Maduro e Juan Guaidó, antes de julgar a acção movida contra o Banco da Inglaterra para devolver as reservas de ouro venezuelanas.  

O Banco Central da Venezuela (BCV), presidido por Calixto Ortega, apresentou uma queixa perante um tribunal comercial de Londres para recuperar mais de 30 toneladas de ouro deposita das na instituição britânica e que afirma que precisa para combater o coronavírus.  

No entanto, o Banco da Inglaterra (BoE) alega se ver entre a direcção do BCV e outra rival, designada por Guaidó, que cinquenta países incluindo o Reino Unido consideram presidente interino da Venezuela.  

“Todas as partes relevantes devem comparecer ao tribunal”,disse Brian Kennelly, advogado do BoE, pedindo que os advogados da directoria interina sejam incluídos no caso.  

Admitindo a “urgência” de uma questão que os queixosos descrevem como humanitária, o juiz Teare escolheu primeiro decidir quem se reconhece como o presidente do país.  

O caso muito complexo será complicado pela necessidade de realizar audiências de videoconferência devido ao coronavírus com testemunhas em diferentes continentes e fusos horários distintos. A questão do reconhecimento será resolvida num julgamento de cinco dias “antes de 22 de Junho”, decidiu Teare, sem estabelecer uma data exacta para o desconhecimento da disponibilidade do tribunal. 

error: Content is protected !!