Chefe do Legislativo da China destaca resoluta oposição à “independência de Taiwan”

O presidente do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional, Li Zhanshu, sublinhou na Sexta-feira o total reconhecimento da importância da Lei Anti-Secessão, e pediu forte oposição à “independência de Taiwan” e firme progresso rumo à reunificação da China

Li, que também é membro do Comité Permanente do Bureau Político do Comité Central do Partido Comunista da China (PCC), fez a declaração ao discursar num simpósio no Grande Palácio do Povo para marcar o 15º aniversário da implementação da Lei Anti-Secessão.

Ele considerou a lei como uma importante parte dos sistemas e instituições destinados a defender “um país, dois sistemas” e promover a reunificação pacífica da China. Li explicou que a lei é uma regra importante que apoia os esforços para cumprir a responsabilidade política e a missão de se opor à “independência de Taiwan” e promover a reunificação.

Desde a sua implementação há 15 anos, a Lei Anti-Secessão vem oferecendo uma sólida garantia legal para salvaguardar a paz e a estabilidade através do Estreito de Taiwan e promover os laços através do Estreito, acrescentou Li.

Por algum tempo, as forças separatistas que defendiam a “independência de Taiwan” julgaram mal a situação e continuaram com as suas provocações, disse Li.

Eles ameaçaram severamente os interesses vitais dos compatriotas de ambos os lados do Estreito de Taiwan e os interesses fundamentais da nação chinesa, prejudicaram gravemente a paz e a estabilidade através do Estreito e desafiaram seriamente o limite para proteger a soberania e a integridade territorial da China, assinalou ele, enfatizando determinadas etapas para conter e combater esses actos.

“O facto histórico e jurídico de que Taiwan faz parte da China nunca pode ser mudado, não importa como eles e as forças estrangeiras conspirem e apresentem o seu show”, disse Li. “’A Independência de Taiwan’ é um caminho que leva a lugar nenhum”, acrescentou.

O chefe do Legislativo pediu às pessoas de ambos os lados que se unam em oposição à “independência de Taiwan” e busquem a reunificação da China.

Sempre preocupados com os interesses e o bem-estar dos compatriotas de Taiwan, o Partido Comunista da China e o Estado estão a trabalhar para criar condições para os intercâmbios e a cooperação através do Estreito, continuou.

Rejeitando a interferência estrangeira, Li disse que resolver a questão de Taiwan e alcançar a reunificação nacional fazem parte dos assuntos internos da China.

“O conceito de ‘reunificação pacífica e um país, dois sistemas’ é a melhor abordagem para a realização da reunificação nacional”, enfatizou Li, acrescentando que a adesão ao princípio de Uma Só China é a base para alcançar a reunificação pacífica da China.

“Estamos dispostos a criar um vasto espaço para a reunificação pacífica, mas definitivamente não deixaremos nenhum espaço para actividades separatistas em prol da ‘independência de Taiwan’ de qualquer forma”, disse ele.

error: Content is protected !!