Grandes cirurgias no Cuemba condicionadas por falta de material

Os serviços de grandes cirurgias no Hospital Municipal do Cuemba (província do Bié) inaugurado, em Outubro, por João Lourenço, continuam condicionados, actualmente, por falta de material suplementar, que deve chegar à província a qualquer altura, tal como garantiu o Ministério da Saúde, informou à imprensa o director da instituição Arcanjo Mendes. Ao falar no quadro de uma visita que o governador Pereira Alfredo efectou à instituição, na Sexta-feira, Arcanjo Mendes ressalvou, porém, que, apesar disso, a unidade sanitária, desde a inauguração, em Outubro de 2019, funciona de forma regular.

“Não realizamos, até ao presente momento, cirurgias de grande porte, pelo facto de se viver nesta altura uma situação de conjuntura muito maior”, enfatizou Arcanjo Mendes, numa clara alusão ao atraso no envio ao Cuemba do material suplementar cirúrgico.

Outra inquietação manifestada pelo gestor tem que ver com a “gritante necessidade” de um pediatra e de um especialista em de gino-obstetrícia, para atender o serviço materno-infantil que consta como prioridade na garantia da saúde para se fazer vir ao mundo bebés de forma saudável.

Considera bom haver um gino-obstetra, por forma a gerir a saúde da mulher em termos ginecológicos, isto é, de partos e de gravidezes.

Para o responsável, não basta apenas o programa “Nascer Livre para brilhar”, que diz ser, de certa forma, considerado por eles, “mas também dizer que estes bebés precisam de uma conduta exacta para virem ao mundo”.

Por outro lado, o responsável enfatizou casos de malária, doenças dos foros respiratório e digestivo, incluindo a febre tifóide e da malnutrição registados na instituição. Falou também do facto de estarem localizados numa região onde os hábitos de higiene ainda não são tão bons e facilitam a procriação do mosquito.

Afirmou terem registado, neste mês de Maio, a morte de sete crianças por malária, o internamento actual de cinco doentes por esta doença, igual número por má-nutrição e em tratamento, controlado 35 pacientes, sem, no entanto, avançar dados comparativos em relação a igual período anterior.

Com capacidade para 150 camas, a unidade hospitalar foi apetrechada com equipamentos modernos e ficou orçada em 9 milhões de dólares norte-americanos. Foi concebida para atender pacientes das províncias do Bié, Moxico, Cuando Cubango, Lundas Norte e Sul.

Inaugurado pelo Presidente João Loureço, em Outubro de 2019, o empreendimento conta com 23 enfermeiros e 10 médicos. Contempla, entre outros, serviços de hemodiálise, cirurgia, pediatria, maternidade, raio X, oftalmologia, testes de VIH/SIDA e aconselhamento, bem como uma morgue e área para tratamento de doenças infecciosas.

O município do Cuemba, que dista 170 quilómetros a Leste da cidade do Cuito (Bié), tem uma população estimada em 61 mil e 978 habitantes, distribuída por três comunas, nomeadamente, Sachinemuna, Munhango e Luando.

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!