MPLA aconselha jornalistas a evitar partilha de informações caluniosas

O secretário para Informação e Propaganda do Comité Provincial de Malanje do MPLA, Inácio Bernardo, aconselhou, nesta Sexta-feira, os jornalistas a evitarem a partilha ou noticiar informações que circulam nas redes sociais.  

O político falava num encontro com jornalistas e responsáveis da Delegação da ANGOP em Malanje, no âmbito de uma visita de constatação das condições de trabalho da empresa. 

Segundo o político, tem sido frequente, nos últimos tempos, a disseminação, nas redes sociais, de informações infundadas sobre figuras da província, projectos do Governo e a governação local, por indivíduos sem conhecimentos profundo da situação. 

Lamentou o facto de alguns jornalistas de órgãos públicos e privados envolverem-se nesses “episódios”, por isso apelou para a mudança de comportamento, afirmando que há cidadãos que mesmo desconhecendo a realidade da província não se coíbem de fazer circular informações falsas nas plataformas digitais. 

Com vista a combater essa prática e esclarecer os cidadãos sobre a governação e de outros aspectos  comentados nas redes sociais, o Departamento de Informação e Propaganda do MPLA está a trabalhar na criação de uma plataforma digital em que os internautas terão acesso e poderão interagir sobre as acções do Governo. 

Lembrou que o uso correcto das redes sociais, sobretudo por parte dos jornalistas enquanto fazedores de opinião, pode contribuir para o desenvolvimento da província e do país. 

Alertou ainda os jornalistas a terem sempre em atenção o direito de resposta e o contraditório no exercício da profissão, evitando, em casos polémicos, divulgar apenas a versão de uma única fonte. 

Por sua vez, o delegado provincial de Malanje da ANGOP, Pedro Calombe, disse que a agência tem sido cautelosa na veiculação de informações, pois o jornalismo hoje praticado exige isenção e responsabilidade. 

Esses pressupostos, fez saber, fazem parte do novo guia de reportagem da ANGOP e das exigências do contexto actual. 

Apontou a insuficiência de equipamentos e apetrechamento das instalações, como sendo as principais dificuldades, as quais, segundo o secretário para informação do MPLA, serão levadas a consideração superior do partido na província. 

A comitiva do MPLA visitou também a TPA, Rádio Nacional e Jornal de Angola. 

leave a reply