Editorial: Quando falta concertação

Editorial: Quando falta concertação

Está claro que não houve suficiente concertação entre o Ministério da Educação e parceiros para a determinação do reinício do ano lectivo. Os pais manifestam falta de vontade de mandar os seus educandos à escola sem garantias absolutas de segurança. 

Os professores, parte importantíssima na escola, para ensinar e para educar, e até para a manutenção das infra-estruturas, por via dos seus sindicatos opõem-se firmemente ao reinício da escola nos moldes como está desenhado e com as condições existentes. Tudo isto mostra que se pensa de formas diferentes entre os intervenientes no processo de ensino. 

Agora fica-se a saber que nem o tempo de intervalo entre aulas merece consenso, quando se deveria esperar que tal cronometragem tivesse sido testada e reatestada. 

Os desencontros entre o Ministério e os professores e as denúncias sobre escolas quem nem pessoal de limpeza têm só aumentam os receios dos pais e dos alunos.