EUA vivem ‘onda de violência explosiva e encruzilhada mortal’

Ao menos 40 cidades dos EUA impuseram toque de recolher para conter os violentos protestos desencadeados pelo assassinato de George Floyd.

Segundo o analista Patricio Zamora em entrevista concedida à Sputnik Mundo, a revolta é uma “resposta à grande tensão sócio-económica pela gestão desastrosa de Trump da crise da Covid-19”.

Além do mais, o analista assegurou que existem mais de quatro mil pessoas detidas.

Os protestos pelo assassinato do afro-americano George Floyd intensificaram-se neste fim-de-semana e chegaram inclusive às portas da Casa Branca.

Consequentemente, ao menos 40 cidades norte-americanas decretaram toque de recolher, “afectando 50 milhões de norte-americanos”, explicou Patricio Zamorano, analista internacional e directorexecutivo da consultoria InfoAmerica.

Além de possuírem um caráter anti-racista, Zamorano assegurou que os protestos expressam “a grande tensão sócio-económica” provocada pela gestão “desastrosa” que o governo de Donald Trump está a executar em relação à crise do coronavírus.

“Há de 30 milhões a 40 milhões de pessoas desempregadas e uma situação de fome que começa a ser sentida nas cidades, inclusive entre a classe média. A situação é crítica: pessoas de classe média e baixa fazem filas por horas por um prato de comida”, agregou.

Trump criticou o movimento Antifa (anti-fascismo), que o acusa de ter organizado os protestos, colocando-o, por isso, na lista de grupos terroristas. “Se trata de uma manipulação: esta não é uma onda de protestos organizada pelo Antifa”, afirmou o especialista.

error: Content is protected !!