Mais de três milhões de filhotes de tartarugas mandados ao mar

Projecto Kitabanga – Conservação das Tartarugas Marinhas, desde 2003 desenvolve acções com o objectivo primordial de contribuir para o conhecimento das tartarugas marinhas ao longo da costa de Angola. As bases do projecto, implementado pela Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto, localizam-se no Soyo, Kissembo-Mucerra, Palmeirinhas, Sangano, Cabo-Ledo, Cuio e no Bentiaba. 

Para este ano, têm previstas aberturas das bases da Barra do Dande, Barra do Kwanza, Foz de Catumbela, o Farol de Santa Marta e a Baía das Pipas, para além do aumento da área nad regiões do Cuio e Palmeirinhas. Neste momento têm com oito bases e passarão para 14, e de 63 quilómetros de praia passarão para 96km. 

O projecto tem procurado envolver as comunidades no trabalho que desenvolve, porque buscam trabalhar com as escolas, com as mulheres dos bairros, com os pescadores e com as crianças naquilo que tem a ver com a educação ambiental. Têm parceiros que ajudam no processo e têm noção da preservação do património de todos. 

“O Projecto tem bastantes quadros formados. Só para ter noção, a nossa nova ministra fez a sua monografia de licenciatura com base nas informações e dados do Kitabanga. Envolvemos todos os anos bastantes estudantes do curso de Biologia e não só. Este ano, nós atingimos a cifra de 3 milhões e 600 mil neonatos encaminhados ao mar, nascidos e protegidos ao abrigo do Kitabanga”, disse. 

O produto do trabalho feito pelo Kitabanga acaba indo para a comunidade científica para ser um documento de base para gestão. 

Defendem que deve haver maior empenho de todos na educação ambiental, deve haver ainda uma fiscalização activa para chamar à razão as “ovelhas negras” que vão destruindo todo o trabalho de conservação da costa que têm desenvolvido. 

error: Content is protected !!