Líder da Al Qaeda no Magrebe Islâmico morto no Mali pelo exército francês

O ministro do exército francês, Florence Parly, confirmou na passada Sexta-feira à noite que o emir Abdelmalek Droukdal e vários de seus colaboradores foram “neutralizados”

Quando Florence Parly falou na Quinta-feira diante do comitê de defesa da Assembleia Nacional, Abdelmalek Droukdal já estava morto.

De acordo com o jornal francês Le Figaro, o exército francês “neutralizou” no dia anterior, a 3 de Junho, o emir da Al-Qaeda no Magrebe Islâmico “e vários de seus colaboradores durante uma operação no Norte do Mali ”.

Mas o ministro francês do exército não o anunciou até Sexta-feira à noite. Segundo o Le Figaro, o político terá comentado no Twitter que “a luta essencial pela paz e estabilidade na região acaba de ser um grande sucesso”. Abdelmalek Droukdal “comandou todos os grupos qaidistas no Norte da África e na faixa do Sahel, incluindo o JNIM, um dos principais grupos terroristas activos no Sahel”, acrescentou o ministro.

O exército francês assinala assim “uma importante vitória simbólica na sua luta contra as formações jihadistas que assolam o Norte do Mali”, sublinha ainda o jornal francês.

Para derrubar o equilíbrio de poder no Sahel, o chefe de Estado Emmanuel Macron decidiu aumentar a presença militar para 5.100 soldados e concentrar operações nas três áreas fronteiriças (entre Mali, Burkina Faso e Níger) contra o Estado Islâmico no Grande Sahara.

Expresso

error: Content is protected !!