Editorial: Fosse assim com todos…

Editorial: Fosse assim com todos…

E teríamos um país melhor. Se cada agente do Estado passasse a temer entrar num acto de corrupção. Se deixassem de usar os seus postos de serviço, ou as suas categorias, ou o exercício de função como forma de enriquecimento, de extorsão ao cidadão.

A ligeireza com que agentes do Estado resolvem embolsar mais algum, a toda a hora e em todo o lugar é assustadora. O país vai precisar de gerações para ultrapassar esta forma de estar na vida.

O despudor é até elogiado, parece uma obrigação. O dever é algo ultrapassado, as consequências do não cumprimento do dever, ainda que impliquem a perda de vidas humanas, parece não fazer a menor diferença. O que importa é mesmo a entrada de mais algum no bolso, que pode nem ser muito, mas para aquele agente do Cuando Cubango que recebeu três mil Kwanzas para deixar um veículo seguir em viagem mesmo não estando em condições legais, o que vale a vida de outro? talvez os três mil kwanzas que agora o levaram à cadeia.