Angolano desponta em Portugal e almeja selecção

Angolano desponta em Portugal e almeja selecção

O avançado assume-se como apaixonado pelo desporto-rei. “Está-me no sangue”, afirma, numa entrevista concedida este Domingo à Angop, via WhatsApp, em que considera que o desejo de jogar pelos “Palancas Negras” deve concretizar-se pelo trabalho.

Por enquanto, sublinha, o objectivo é evoluir, perspectivando para a época 2020/21 a subida da I Divisão Distrital de Setúbal, onde representa o Alcochetense, para o Campeonato de Portugal, a terceira maior prova lusa depois das 2ª e 1ª Ligas.

Há cinco anos no país europeu, o atleta, que usa preferencialmente o pé direito, realizou a sua melhor época desportiva na formação Alcochetense na última edição, onde contribuiu com 13 golos, que permitiram ao clube colocar-se na 2ª posição na Distrital de Setúbal.

Rui Társio conta, na entrevista à Angop, que liderou a lista de melhores marcadores até quase ao final da prova, mas foi ultrapassado por Mário Madeira (Vasco da Gama de Sines – 15 golos) e por Bruninho (Oriental Dragon – 16).

Salienta que na primeira época (2018/19) no Alcochetense marcou apenas cinco tentos, devido a algumas lesões, mas na segunda (2019/20) deu-se a explosão e quase se sagrou o artilheiro da prova.

“Foram no total 19 golos marcados, (sendo)13 na Distrital, dois na Taça de Portugal e quatro na Taça de Setúbal”, explica o jogador, que, recentemente, se vinculou ao empresário desportivo César Barbieri, brasileiro que representa a empresa “Ello Sports”. Refere, sem citar nomes, ter recebido convites de alguns clubes para evoluir no Campeonato Nacional de seniores, estando ainda a avaliar cada proposta para decidir pelo melhor projecto de desenvolvimento.

O angolano considera o futebol uma arte, revelando que encontra inspiração em jogadores como Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo “O Fenómeno”, Neymar (todos brasileiros) e Quaresma (português).

 “Sempre gostei do Ronaldinho e do Ronaldo ‘O Fenómeno’. Para mim, foram os tipos de jogadores que toda criança imitava. O (Ricardo) Quaresma também me inspirou, mas, actualmente, Neymar é a minha principal referência”, ressalta o atacante.

Objectivo de jogar pela Selecção de Angola

O goleador diz que, como todo o jogador, tem como “sonho” representar as selecções nacionais, mas “não faz disto prioridade”, sendo que tudo dependerá do seu trabalho e da avaliação da Federação Angolana de Futebol.

Focado no seu objectivo de evoluir, afirma não ter ainda qualquer contacto com o órgão reitor do futebol angolano e acrescenta que continuará a empenhar-se para que surjam convites.

Sobre a selecção de honra, é de opinião que existem bons jogadores a evoluírem dentro e fora do país, sobretudo valores individuais, mas que por vezes falta o colectivo.

Rui Társio entende que o colectivo faz as equipas e defende maior aposta nesse aspecto, nem sempre tão bem acautelado, citando como exemplo a última participação de Angola no Campeonato Africano das Nações, decorrido em 2019, considerada um fracasso pela crítica desportiva.