Associação Mãos Livres disponibiliza advogado para o “caso António Manuel”

Associação Mãos Livres disponibiliza advogado para o “caso António Manuel”

António Manuel, antigo combatente da FNLA, foi morto a soco por um jovem e colega seu de partido, identificado por Herculano Bengue Bibinge, no dia 13 de Fevereiro de 2015, em Luanda, durante a realização do XIII Congresso deste partido. 

O aludido conclave foi marcado por um acto de pancadaria entre apoiantes do actual  presidente da FNLA, Lucas Ngonda, e de  Ngola Kabangu, que lidera uma outra ala,  antes do seu início, de que resultou a morte do “velho maquisard”. 

O seu filho, Simba Manuel, em entrevista concedida recentemente a OPAÍS, clamava por um patrocínio judiciário para continuar com o processo, para que se faça justiça à dimensão do crime que vitimou o seu progenitor. 

Simba António Manuel deplorou o facto de cinco anos depois o caso não ter transitado ainda em julgado, e o acusado ter sido solto pela Polícia Nacional, dias depois da morte de António Manuel, por uma alegada influência movida por Lucas  Ngonda, de que é familiar. 

O processo, com o nº 9-1067/015-DH/N, de acordo com a fonte, encalhou pelo facto de a família e a Associação dos Antigos Combatentes (AAC/ FNLA) estarem desprovidos de meios financeiros para contratar um advogado que possa dar seguimento ao caso.  

Mãos Livres assegura defesa  

Respondendo ao grito de socorro dos familiares e da ACC/FNLA, o presidente da Associação Mãos Livres, Salvador Freire dos Santos, anunciou que a instituição que dirige está disponível para prestar o apoio pretendido para dar sequência ao processo no Serviço de Investigação Criminal (SIC) do Comando Municipal da Polícia Nacional de Viana. “Pretendemos trabalhar neste caso até ao desfecho final”, disse, e que a Associação Mãos Livres vai reunir-se com a família, nos próximos dias, para ter contacto com o processo e começar a trabalhar nele. 

O responsável deplorou o facto de um caso de homicídio, passados cinco anos, não ter transitado ainda em julgado. 

Salvador Freire, que é advogado de profissão, evitou anunciar o número de advogados que vão trabalhar no aludido processo.   

Satisfação   

O presidente da Associação dos Antigos Combatentes da FNLA, Lino Ucaca, em declarações a este jornal, sobre o assunto, mostrou-se satisfeito com o gesto da Associação Mãos Livres e espera que a justiça seja feita para moralizar a família e a associação de que António Manuel fazia parte. 

O responsável revelou que a Associação dos Antigos Combatentes da FNLA enfrenta várias dificuldades de tesouraria, sendo a razão que a impede de contratar um advogado para resolver este caso. 

Disse que a ACC/FNLA por depender de quotizações dos seus membros, mas que não acontece regularmente devido ao atraso dos seus módicos ordenados da pensão de reforma, os seus associados vivem em condições sub-humanas e de indigência. 

Citando palavras de Simba Manuel, Lino Ucaca recordou que, apesar da avançada idade, António Manuel era o responsável pelo sustento da família, revelando que com a sua morte os seus dependentes passam por dias difíceis para se alimentar e resolver as suas necessidades vitais. 

Maria Miranda Cassule