Sete altos gestores públicos de Benguela indiciados por peculato pela PGR

Sete altos gestores públicos de Benguela indiciados por peculato pela PGR

O sub-procurador-geral da República, João da Cruz Tchiputya Rafael, requisitou ao governador provincial de Benguela, Rui Falcão, através do ofício nº 040/PGR/GSPGRC/LB/2020, que dispense o administrador municipal do Lobito, o actual chefe da Secretaria do Governo Provincial, bem como a pessoa que exerceu essa função no período compreendido entre 2006 a 2008.

Na lista de convocados estão também os presidentes dos conselhos de administração das empresas de Águas e Saneamento de Benguela e do Lobito, os directores dos gabinetes de Estudo e Planeamento e do Jurídico do Governo Provincial de Benguela (GPB) e o director da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE) no Lobito.

Pesam sobre eles fortes indícios de terem cometido os crimes de peculato, burla por defraudação, participação económica em negócio, tráfico de influências, recebimento indevido de vantagens, associação criminosa, prevaricação, abuso de poder e de branqueamento de capitais.

O procurador solicitou também que lhe sejam remetidas fotocópias dos despachos de nomeação e exoneração do ex-administrador municipal do Lobito, Amaro Segunda Recardo.

Dentre todos eles, o director da ENDE será o último a ser ouvido, pois a requisição enviada a Rui Falcão diz que o seu interrogatório está agendado para as 10horas de hoje.

Para ontem, o procurador junto do SIC do Lobito, Almerindo Bastos Chivutucua, marcou interrogatórios aos presidentes dos conselhos de administração das empresas de Águas e Saneamento de Benguela e do Lobito no período da manhã, às 10 horas, e no período da tarde os directores do GEP e do Gabinete Jurídico do GPB, por volta das 14horas.

Para Segunda-feira (8), Almerindo Chivutucua agendou, em separado, o administrador municipal do Lobito, o actual chefe da Secretaria do Governo Provincial, bem como a pessoa que exerceu essa função no período de 2006 a 2008.