Isto pode demorar

Isto pode demorar

Com a subida do número de infectados pelo novo Coronavírus, com esta nova aquisição dos dezassete da Rússia, o melhor é começar a preparar as pessoas para a possibilidade de a coisa se demorar por cá. E de a cerca de Luanda demorar para além destes novos quinze dias em situação de calamidade. E é preciso rezar, como diz a ministra Lutukuta, para que o vírus não se revele a circular pela comunidade.

Mas ainda temos algumas brechas para plantar esperanças. Depois de curado o “Caso 26”, se os seus contactos não tiverem feito outros contactos, se não houver mais casos na cerca da Multiperfil e se o “Caso 31”, este grande sarilho para o Cazenga, ficar curado e também os seus contactos já controlados. E se do Cazenga não vierem novos casos, então poderemos esperar pelo regresso à normalidade.

Mas isto, como se sabe, pelo histórico do comportamento do vírus em Angola, com revelação tardia e com tempo prolongado de cura, só daqui a alguns meses. Dois, pelo menos. Mas se surgirem mais casos na comunidade, então o Natal poderá estar estragado.

Entretanto, há que começar a pensar como viver os próximos meses, se houver transmissão comunitária da Covid-19, que ninguém quer, o Governo e as famílias. É que o vírus começa a sair caro ao país, apesar de a mesma ministra ter dito que a saúde não tem preço. E não tem mesmo.

Contudo, o preço psicológico deve se ponderado também, apesar de a maior parte das pessoas estar aparentemente a levar a vida com normalidade.

Falando nisso, no Japão, as pessoas que se infectam ou infectem outras pedem desculpas públicas. É um princípio importante de disciplina e assumpção de responsabilidades, de cada um, para o vírus não demorar para todos.