PR elogia Portugal pelas medidas de combate à Covid-19

PR elogia Portugal pelas medidas de combate à Covid-19

Numa mensagem de felicitações ao seu homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa, pelo Dia Nacional de Portugal, que se assinalou ontem, João Lourenço manifestou a certeza de que, nesta ocasião, esse país europeu esteja “igualmente a comemorar conquistas importantes no plano sanitário”.

O Chefe de Estado angolano expressou igualmente convicção de que o contínuo estreitamento das relações de amizade e de cooperação entre os dois países favorecerá a concretização das várias iniciativas e projectos de interesse mútuo.

Esses projectos, crê João Lourenço, “vão ajudar, certamente, a impulsionar o desenvolvimento de Angola e a consolidação das realizações de Portugal, em todos os domínios da vida nacional” do país europeu.

“Tenho a honra de, em nome do Povo Angolano, do Executivo e no meu próprio, felicitar o Povo, o Governo português e Vossa Excelência, pela celebração do 10 de Junho, Dia Nacional de Portugal”, lê-se na missiva do Presidente da República de Angola.

PR considera irreparável morte de Nkurunziza

Já noutra nota, o Chefe de Estado angolano, João Lourenço, considero “uma perda irreparável” a morte de Pierre Nkurunziza, Presidente cessante da República do Burundi.

Pierre Nkurunziza morreu na Segunda-feira (08), vítima de doença, no hospital Karusi, no Leste do Burundi.

Numa mensagem de condolências dirigida ao Presidente interino do Burundi, Pascal Nyabenda, o Estadista angolano qualifica Pierre Nkurunziza como “uma importante figura do Burundi, cujos feitos marcaram de forma bastante positiva a história desta grande nação”.

João Lourenço diz ter tomado conhecimento da morte do Presidente cessante do Burundi com “profunda tristeza” e apresenta “as mais sentidas condolências ao Governo e ao Povo burundês”.

“Peço a Vossa Excelência que estenda também os meus sentimentos de pesar à família enlutada e aos amigos do malogrado”, indica a nota, na qual o Presidente da República de Angola expressa “sentimentos de solidariedade, “nesta hora de dor e luto” para nação burundesa.