Vinte quatro empresários aderem ao alívio económico no Uíge

Vinte quatro empresários aderem ao alívio económico no Uíge

Em declarações à Angop, ontem, o director do Gabinete Provincial para o Desenvolvimento Económico e Integrado, Joaquim Gimbi, disse que, neste momento, os bancos estão a analisar os documentos dos que assinaram, a 27 de Maio, o memorando.

Neste quadro, apontou, o Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) vai disponibilizar 17 mil milhões de Kwanzas com vista a impulsionar o crescimento do comércio e a produção interna do sector privado, sobretudo à agricultura familiar.

Joaquim Gimbi adiantou que, para o fomento da produção nacional e apoio ao Programa de Diversificação da Economia e Exportações, foram já inscritas 15 cooperativas agrícolas que receberão cada uma 50 milhões de Kwanzas nos bancos em que se inscreveram, caso sejam aprovados os documentos apresentados.

Integram o grupo de financiadores desta iniciativa do governo, o BPC, BAI, BIC, BFA e outros integrantes do sistema bancário nacional que aderiram a esta acção inserida no Projecto de Apoio ao Crédito (PAC), para o fomento local dos 54 produtos da cesta básica inscritos na economia angolana.

Entretanto, o responsável recordou que a 21 de Agosto de 2019 o Governo realizou um encontro em que sensibilizou os agentes económicos sobre as modalidades de acesso ao PAC, partindo sempre do pressuposto da legalidade das candidaturas dos interessados.

Fazem parte dos produtos da cesta básica, o açúcar, arroz, fuba de milho, de trigo, feijão, leite, óleo alimentar, sabão, sal, massa alimentar, sumo, carne bovina, suína, frango, entre outros bens primários.