Criação da Liga de futebol divide opiniões

O membro da comissão instaladora da Liga, Campeonato Nacional de futebol da primeira divisão, Policarpo Baptista, defendeu o horizonte temporal de um ano e meio para a sua concretização.

Policarpo Baptista explicou que tudo vai depender da dinâmica de trabalho dos clubes e das condições objectivas que serão reunidas.

“Se os clubes apresentarem as condições todas que a lei obriga, com os trabalhos a serem feitos penso que menos de um ano para executar o projecto, mas para arrancar com força solidificar os passos, caminhar bem e seguro”, acrescentou.

Por outro lado, Policarpo Baptista garantiu que o melhor modelo para Angola é o de Moçambique, porque os moçambicanos encontraram opções económicas e financeiras muito boas para resolverem determinados problemas que os clubes enfrentavam.

Por sua vez, o jurista Sérgio Raimundo é de opinião que o Estado tem intervenção directa, porque é órgão que sustenta o desporto angolano. “Na realidade actual do nosso país, o desporto sem a sustentabilidade estatal não consegue sobreviver, ou seja, morre”, alertou.

O jurista revelou que as grandes agremiações desportivas que fornecem o maior número de atletas nas selecções nacionais em todas as modalidades são sustentadas pelo Estado.

“Ora, se você condiciona a entrega da organização do Girabola numa comissão instaladora que é proibida por lei, estás a dizer por outras palavras que não haverá Campeonato Nacional nesta época”.

Deste modo, Sérgio Raimundo disse que as equipas não terão competição interna para jogar a prova africana e o resultado será desastroso.

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!