Grupo Contidis desmente encerramento de 50 % das lojas

Grupo Contidis desmente encerramento de 50 % das lojas

O ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, promoveu, ontem, um encontro com os responsáveis gestores pela rede de supermercados CANDANDO, de modo a clarificar a notícia publicada no jornal Economico, na edição 08 de Junho de 2020 com o título “Arresto agrava crise na rede de supermercados: Candando encerra metade das lojas e manda 1000 para o desemprego”.

De acordo com o documento que chegou à redacção do jornal OPAÍS, o Grupo Contidis não prevê demitir metade da sua força de trabalho em número de 1000 funcionários. O referido grupo reafirmou o seu compromisso em continuar a operar no mercado angolano, apesar dos desafios económicos globais agravados pelo impacto da pandemia “Covid-19”.

De acordo o mesmo documento, tão logo se ultrapasse o momento actual, o Grupo Contidis continuará a alargar a sua rede de lojas, criando mais postos de trabalho, proximidade às famílias e absorção e distribuição da produção nacional.

Das medidas definidas pelo executivo aquando da declaração do estado de emergência, inicialmente, e mantida na declaração do estado de calamidade pública consta a orientação aos operadores económicos, e não só, da manutenção dos postos de trabalho como um dos requisitos a serem observados.

O Grupo Contidis reafirmou a sua firme intenção em respeitar tais medidas, bem como continuará a colaborar nas acções do executivo com vista a prevenção e combate à “Covid-19”. Assim, o Ministério da Indústria e Comércio reafirma a sua missão de continuar a trabalhar para o normal funcionamento do sector da distribuição formal no nosso país.