Irão divulga fotos de ‘informador da CIA e Mossad’ sentenciado à morte

Irão divulga fotos de ‘informador da CIA e Mossad’ sentenciado à morte

O poder judiciário do Irã disponibilizou informação sobre um informador da CIA e da Mossad, que foi sentenciado à morte devido a acusações de espionagem. De acordo com o órgão, Seyed Mahmoud Mousavi-Majd forneceu às agências de espionagem dos EUA e Israel dados sobre a localização do general iraniano Qassem Soleimani, que foi assassinado em ataques aéreos dos EUA em 3 de Janeiro de 2020.

A agência iraniana de notícias Mizan divulgou uma imagem de Seyed Mahmoud Mousavi-Majd, que foi sentenciado à morte por espiar para os EUA e Israel. O poder judiciário o acusou de colectar inteligência de segurança e prover informações sobre o paradeiro de Soleimani, levando ao seu assassinato.

Mousavi foi preso meses antes do assassinato do general. Portanto, não é claro se a quantidade de informações fornecidas por ele ajudou agências de espionagem a identificar o paradeiro de Soleimani.

O acusado foi detido no mesmo momento em que Teerão anunciou a detenção de 16 espiões da CIA. O presidente norte-americano, Donald Trump, comentou que as afirmações do Irão de ter destruído uma “rede da CIA” no país são “completamente falsas”, porém, nenhuma outra autoridade de ambos os países comentaram o caso. O espião da CIA que estava a receber informações sobre o mártir general Qassem Soleimani, da Força Quds do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irão, foi sentenciado à morte.

Seyed Mahmoud Mousavi-Majd possuía conexões com a Mossad e a CIA, passando a eles a localização de Qassem Soleimani Qassem Soleimani foi uma figura- chave na coordenação das acções militares do Irão na região do Oriente Médio, além de ter actuado nos serviços de inteligência da nação persa.

Vários especialistas consideram que o general assassinado era a segunda pessoa mais poderosa do Irão, após o líder supremo, aiatolá Khomeini, e tinha mais influência que o presidente iraniano, Hassan Rouhani.