Coordenador destaca moral e ética nos trabalhos do CIVICOP

Coordenador destaca moral e ética nos trabalhos do CIVICOP

Falando na reunião do Grupo Técnico Científico da referida comissão, o responsável, igualmente ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, disse que esta deve ser a linha orientadora de toda a actividade.

Para si, é uma ligação que se traduz no compromisso com o perdão e a reconciliação, visando a união dos angolanos.

Neste sentido, Francisco Queiroz apelou para a importância do cuidado na realização do trabalho, mantendo o foco no perdão e na reconciliação, referindo ser este o princípio orientador mais importante desta comissão.

 “Devemos ter em conta que estamos a tratar de um assunto muito sensível que mexe com consentimentos muito profundos de dor e mágoa. Por isso, temos de evitar posições e opiniões  subjectivas. As nossas crenças pessoais devem ceder perante a reconciliação, para evitar polémica”, alertou.

Durante a reunião, o grupo técnico procedeu ao balanço das actividades definidas nos quatro anteriores encontros realizados por videoconferência, bem como aprovou o plano de trabalho para os próximos tempos.

Criada por Decreto Presidencial, em Abril de 2019, a Comissão tem por missão elaborar um plano geral de homenagem às vítimas dos conflitos políticos ocorridos em Angola, no período de 11 de Novembro de 1975 a 4 de Abril de 2002.