Projecto de pintura-mural de incentivo ao combate à Covid-19 beneficia artistas com cestas básicas

Projecto de pintura-mural de incentivo ao combate à Covid-19 beneficia artistas com cestas básicas

O projecto de pintura mural denominado “Educação e prevenção da Covid-19 na comunidade”, projectado pela Brigada de Jovens Artistas Plásticos (BJAP), vai beneficiar cerca de 100 artistas plásticos com cestas básicas, para apoio às suas famílias.

As cestas serão confeccionadas com o auxílio de empresas públicas e privadas, solicitadas pela BJAP, para assim socorrer os artistas envolvidos no projecto, que, desde Abril, devido ao Estado de Emergência decretado (27 de Março a 25 de Maio), em função da pandemia, estão sem rentabilizar por falta de trabalhos.

Os labores tiveram início ontem, com a inauguração da pintura/mural na parede da União Nacional dos Artistas e Compositores (UNAP) e prossegue hoje no distrito 11 de Novembro, Bairro da Mabor (Cazenga), assim como em vários municípios da capital.

A iniciativa que conta com o apoio do Instituto Angolano da Juventude e a JMPLA, visa ainda reforçar e sensibilizar o cumprimento das medidas preventivas no seio da comunidade, para assim evitar a sua disseminação, através de desenhos concebidos por artistas.

“O rendimento que teremos ou o subsídio será revertido em cestas básicas. Por isso, estamos a apelar às empresas e parceiros para apoiarem, porque este projecto é também uma forma de darmos trabalho aos jovens. Muitos deles, apesar de não assumirem, estão a passar fome, porque estão sem trabalhar”, disse o coordenador-geral da BJAP, Adão Mussungo, em conversa com OPAÍS.

Para a concretização do projecto com êxito, a BJAP tem também solicitado apoios das administrações locais, para ajudarem com alguns materiais, como tintas e bens logísticos, durante a implementação dos trabalhos nos respectivos municípios.

“Há muitos que dependem somente da arte e agora estão sem fazer nada. Então, se os outros municípios derem respostas, estaríamos a passar mensagens sobre a doença do novo Coronavírus, e, ao mesmo tempo, dar oportunidade aos jovens de terem um subsídio para poderem alimentar as suas famílias. Temos uma lista de 50 artistas, na medida que forem surgindo os trabalhos, vamos também aumentar o número de participantes para assim abranger os 100”, apelou.

Adão Mussungo deu a conhecer que a BJAP possui cerca de 200 membros, dos quais 100 estão no activo, e, que, em cada trabalho nos vários municípios será projectado por cinco profissionais, com o objectivo de incluir todos.

Mensagens no mural

Os desenhos no mural, que serão feitos nas paredes das áreas já identificadas, para além de ilustrar o uso de máscaras, lavagem das mãos, distanciamento e representar os parceiros, vão ainda homenagear os médicos e enfermeiros, com imagens e mensagens de incentivo.

Nesta senda, serão representadas também as famílias, isso, por terem observado que estão a ser fortemente afectadas, devido à pouca rentabilidade, e, também, por serem a estrutura de uma sociedade.

“Vamos ilustrar imagens de um pai, mãe e os filhos com máscaras na cara e frases a apelar para a não subestimação da doença, uma das coisas que temos notado na comunidade. Vamos ainda reforçar os apelos feitos pelo Executivo através do Ministério da Saúde, que pedem a contribuição de todos para o combate à doença”, augurou.

Consta que os espaços para efectivar o trabalho, no município do Cazenga, Viana e Cacuaco já estão localizados, tendo contado com o apoio dos parceiros. Apesar do facto, aguardam ainda pelas respostas de algumas administrações, para a implementação do trabalho nos vários lugares.

“No município do Cazenga, a administração local abraçou o projecto. Está tudo avançado para começarmos com os trabalhos. Desta feita, continuamos a apelar as administrações para que adiram ao projecto, para que possamos passar em todos os municípios. Este é um trabalho que pretendemos desenvolver no interior das comunidades”, finalizou.