Água salva cerca de 14 mil pessoas no Tombwa

Água salva cerca de 14 mil pessoas no Tombwa

O governante disse que os sistemas foram instalados depois da visita que o Presidente da República, João Lourenço, efectuou a esta localidade, a 3 de Março do ano passado. Além dos meios de captação e distribuição de água, os munícipes receberam também bens alimentares, entre outros, que serviram para colmatar algumas dificuldades.

Esclareceu que no ano transacto a população local perdeu grande parte do seu gado, tendo em atenção que cerca de 30 mil cabeças de gado morreram devido às consequências da estiagem que assola o Sul do país. Em seu entender, para a reposição do gado é necessário garantir o fornecimento de água e pasto.

No entanto, Alexandre Niyúka disse existirem indicações de um futuro promissor, uma vez que se prevê que nos próximos anos, o município beneficie de uma barragem que será erguida numa zona estratégia de transumância do gado, localizada ao longo do rio Curoca. Trata-se de um projecto âmbito nacional que está sob a égide do Governo central, pelo que aguardam pela sua implementação.

O sector da saúde constitui uma das principais preocupações das autoridades locais, por carecer de melhorias. Neste momento, há em funcionamento oito unidades sanitárias, deste número, um é hospital municipal com capacidade de 70 camas.

O dirigente avançou que o sector reduziu os índices de malária, por exemplo, no ano passado foram registadas quatro mortes. E o principal foco é no atendimento eficaz às populações.

No que toca ao sector da Educação, o município conta com 23 escolas e, neste momento, está em curso um projecto de reabilitação de escolas, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

Em relação à energia eléctrica, Alexandre Niyúka avançou que o município se depara com dificuldades. Entretanto, na semana finda recebeu a visita do director regional da Prodel, empresa afecta ao Ministério da Energia e Águas.

O Ministério definiu o município do Tombwa como prioridade para aumentar a capacidade de produção de energia eléctrica. O Tombwa tem uma capacidade de 14.2 megawats, mas conta com cinco, o que é insuficiente para abastecer a cidade.

Para travar a propagação do Coronavírus, Alexandre Niyúka disse que a localidade possui uma equipa de rastreio ao meio do troço Moçâmedes/Tombwa onde se consegue detectar eventuais casos. “Temos instalado um centro de tratamento e quarentena no município, com 20 camas, uma médica cubana e a província irá receber equipamentos de bio-segurança nos próximos dias”, explicou.

O administrador lembrou que no início do estado de emergência o município registou a estadia de turistas sul-africanos e namibianos que estavam a visitar o parque do Yona e tiveram de permanecer, no entanto, já regressaram aos seus respectivos países.

Situado no litoral mais a Sul de Angola, é dos municípios mais pesqueiros do país. Entre o mar e o deserto, o Tombwa é um dos cinco municípios da província do Namibe e vive muitas dificuldades e pretende apostar na área da Saúde.