Mais um óbito e sete novos infectados pela Covid-19

Mais um óbito e sete novos infectados pela Covid-19

Dos sete casos de Covid-19 detectados ontem, a fonte de transmissão ao cidadão nacional de 69 anos residente no Benfica é a que mais aflige as autoridades sanitárias, por a desconhecerem, até ao momento.

Franco Mufinda explicou que estão a procurar descobrir o vínculo epidemiológico que na base desta transmissão da Covid-19, uma vez que os dos outros seis estão localizados. Os cinco novos casos oriundos da cerca sanitária do Hoji ya Henda, município do Cazenga, têm a ver com um cidadão estrangeiro proveniente do exterior do país que não cumpriu as medidas de prevenção, o conhecido “caso 31”.

Já a cidadã angolana de 37 anos residente em Talatona (a sexta) é contacto de um dos casos que estão a ser seguidos.

“Cumpri-nos informar que temos mais sete casos novos, todos eles de transmissão local, e um óbito. O óbito trata-se do caso crítico e confirmado que estava a ser acompanhado há bastante tempo num dos nossos centros de tratamento”, esclareceu Franco Mufinda.

O secretário de Estado para a Saúde Pública disse, durante a apresentação do balanço diário sobre a pandemia no país, no auditório das Edições Novembro, em Luanda, que o cidadão morto tinha outras pré-condições.

Em relação às idades dos infectados da cerca sanitária do Hoji ya Henda, declarou que há duas meninas de 12 anos, um bebé angolano de quatro meses de vida, um cidadão de 46 anos e uma jovem de 20 anos.

“Assim sendo, a estatística indica um acumulado de 155 casos positivos, sendo 152 em Luanda e três casos na província do Cuanza- Norte”, frisou. Acrescentando de seguida que “há 64 pacientes recuperados e 84 casos activos [a serem assistidos]. A transmissão local conta com 90 casos”, frisou.

Franco Mufinda disse que nos laboratórios existem 1.273 amostras em processamento, num universo de 16.419 amostras colhidas, dentre elas 155 positivas e 14.991 negativas.

Em quarentena institucional, disse haver 499 pessoas em todo o país, sendo que nas últimas 24 horas, atribuiu-se alta a 15 pessoas, sendo seis em Luanda e nas províncias do Huambo, Huíla e Lunda Norte três em cada uma delas.

Mais de 460 amostras processadas nas últimas 24 horas

Sobre a actividade laboratorial, Franco Mufinda fez saber que no tempo em referência foram processadas 465 amostras, sendo sete positivas e 458 negativas.

Neste momento existem 460 casos suspeitos investigados, enquanto os contactos sob investigação são 1.244 pessoas. O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 58 chamadas, dentre elas seis de denúncia de violação da quarentena e 52 pedidos de informação sobre a Covid- 19.

Moradores do condomínio Olívia testam negativo

O governante revelou que conseguiram testar os 53 moradores do condomínio Olívia, na Sapu, em Viana, e todos tiveram resultado negativo, porém, mantém-se a cerca sanitária.

Entretanto, nas actividades realizadas por províncias o destaque recaiu para o Bengo, onde alguns efectivos da Polícia Nacional foram formados sobre medidas de bio-segurança, em palestras de sensibilização sobre medidas de prevenção de saúde.

Já a província do Cunene realizou palestras de sensibilização, distribuição de material de informação, educação e comunicação no seio da comunidade.

Ao passo que a província do Uíge reportou algumas digressões feitas pela equipa multissectorial local em alguns pontos fronteiriços com a RDC.

Em Benguela fez a desinfecção da reitoria da Universidade Katyavala Bwila.

O secretário de Estado para a Saúde Pública reiterou o uso da máscara em locais indicados, a higienização das mãos com frequência das mãos, a observância do distanciamento físico bem como o acatamento das medidas contidas no decreto do estado de calamidade e, sobretudo, a não discriminação das pessoas que vivem ou têm o vírus da Covid-19.