Pequim amplia restrições de movimentação para conter coronavírus ressurgente

Pequim amplia restrições de movimentação para conter coronavírus ressurgente

A capital da China cancelou dezenas de vôos, fechou escolas e interditou alguns bairros, enquanto intensifica os esforços para conter um surto do novo Coronavírus que criou o temor de um contágio mais amplo.

Muitos em Pequim viram as vidas abaladas pelo ressurgimento da doença nos últimos seis dias, e alguns temem que toda a cidade esteja a caminho de um isolamento agora que o número de casos novos aumenta.

Autoridades de saúde relataram 31 infecções novas a 16 de Junho, o que eleva os casos acumulados desde Quinta-feira a 137, a pior recaída da cidade em quatro meses.

Desde Domingo, 356 mil pessoas foram examinadas. O mercado de Xinfadi, onde o novo surto foi localizado, era o maior centro comercial de produtos agrícolas da capital, tendo altos níveis de circulação de produtos e aglomerações de pessoas, disse Pang Xinghuo, autoridade de controlo de doenças de alto escalão.

“O risco de o surto se disseminar é enorme, e controlá-lo é difícil”, disse numa conferência de imprensa. “Não podemos descartar a possibilidade de que o número de casos persistirá por um período de tempo.”

Embora as ruas e estradas de Pequim ainda estejam abertas, e as empresas, e fábricas ainda não tenham recebido ordens de parar, as autoridades reforçaram as medidas de controlo de movimento nesta Quarta-feira.

Cerca de 60% dos vôos agendados no Aeroporto Internacional da Capital Pequim foram cancelados ou provavelmente seriam até às 2 horas locais, indicou o serviço de monitoramento aéreo Variflight, assim como cerca de metade dos vôos de Daxing, o outro grande aeroporto da metrópole. Os vôos afectados são, na sua maioria, domésticos.

A media estatal disse que os passageiros de comboios foram reembolsados, numa tentativa aparente de desestimular as viagens, embora os serviços não tenham sido cancelados oficialmente.

Todos os táxis e serviços de transporte com carro particular com destinos fora da capital e algumas rotas de autocarros de longa distância foram suspensos Terça-feira, quando autoridades voltaram a submeter a cidade a um alerta de nível dois, o segundo maior de um sistema de reacção de emergência de quatro graus.

A decisão reverteu um recuo do nível três para o dois ocorrido somente 10 dias antes. Tirando Pequim, as províncias de Hebei, Liaoning, Sichuan e Zhejiang relataram casos novos ligados ao mercado de Xinfadi. Muitas províncias preocupadas com o contágio impuseram o cumprimento de quarentena para visitantes vindos de Pequim, assim como de Macau.