Comissário exige compromisso com serviço público

O comandante provincial da Polícia Nacional, na Huíla, comissário Divaldo Martins, recomendou, na Sexta-feira, no Lubango, aos novos comandantes municipais a manterem uma postura de servidores públicos, primando a ordem e disciplina no exercício das funções

O também delegado do Ministério do Interior falava no acto de empossamento de 11 novos comandantes municipais da Polícia Nacional nomeados recentemente, no quadro da reestruturação do organismo.

Segundo o oficial, os efectivos da corporação devem continuar a respeitar e agir com disciplina e rigor, cumprindo escrupulosamente a Lei, os direitos e liberdades dos cidadãos.

O comandante considera imprescindível que os novos quadros reduzam a distância entre a base e o topo da hierarquia, adoptando uma gestão participativa e dinâmica para elevar o sentimento de segurança pública que se pretende cada vez mais na província da Huíla.

Entre os novos comandantes municipais nomeados destaca-se o superintendente-chefe Pedro Domingos, para exercer o cargo de comandante municipal do Lubango, António Feliciano Mateus para a Chibia, João Ntyamba para a Cacula e Fundi Bonifácio para exercer o cargo de comandante da Unidade Operativa da Huíla.

Cooperação com comunidades

Para o oficial superior da Polícia Nacional, o trabalho com os líderes de bairros e o estabelecimento de maior proximidade com as comunidades deve ser uma prioridade na estratégia do Comando Provincial para o combate aos crimes violentos.

Divaldo Martins falava num encontro com os líderes comunitários do bairro da Tchavola e Kuawa, no Lubango, respectivamente Francisco Jaime e Roque Soares, com o objectivo de reforçar as relações de proximidade, através da audição das principais preocupações de segurança nas comunidades.

Deu primazia aos líderes, que de forma demorada e pormenorizada apresentaram diversas preocupações sobre aspectos que potenciam práticas criminais, como a falta de energia eléctrica, o difícil acesso, falta de uma esquadra, a disputa de terrenos, entre outros.

Em resposta às preocupações, o comissário esclareceu que algumas questões levantadas estão identificadas, como é o caso da electrificação que já está a merecer intervenção da Administração Municipal e assegurou melhorar a estratégia de policiamento apeado, dando maior cobertura aos bairros.

O oficial afirmou que, apesar do rácio Polícia-cidadão estar aquém do estabelecido internacionalmente, a melhor estratégia para o combate à criminalidade é a Polícia e a comunidade trabalharem juntos, pois ajuda a identificar e a conhecer quem são os “bandidos” do bairro e detê-los antes mesmo de praticarem crimes.

Por outro lado, garantiu que o Comando Provincial está a fazer alterações profundas na sua estrutura à luz dos novos normativos, passando pela fusão de alguns sectores e o remanescente do efectivo reforçar as esquadras, com prioridade para aquelas com menor número de efectivos e com maior população.

Um dos mecanismos da sua estratégia, disse o comandante, está orientado aos chefes de esquadra, para que encontros dessa natureza tenham uma regularidade mensal.

Para além dos líderes dos bairros, participaram no encontro os comandantes de esquadras da centralidade da Quilemba e Kuawa, os chefes de Sectores da Tchavola e Kuawa.

ANGOP

leave a reply