Angolanos retidos na Zâmbia e Zimbabwe regressam ao país

Cento de vinte e três cidadãos, entre angolanos, zambianos e zimbabwanos, regressaram, neste Domingo, às suas casas, após 90 dias de confinamento no estrangeiro, em virtude das medidas de prevenção da pandemia Covid-19.

Com efeito, a companhia aérea angolana, TAAG, realizou um voo humanitário ligando Luanda/Lusaka/ Harare, atendendo ao clamor de vários cidadãos retidos nestes países, muitos dos quais vivendo dificuldades extremas, por falta de meios de subsistência.

Os beneficiários da acção, que contou com o envolvimento direto do Governo angolano, através da Comissão Interministerial de Combate à Covid-19, manifestaram o seu reconhecimento às autoridades angolanas, realçando a oportunidade desta acção humanitária.

Em Lusaka, a imprensa local deu ênfase ao facto. O jornal Lusaka Times, elogiou a atitude das autoridades angolanas. Numa matéria publicada ontem, aquele jornal descreve o gesto como “expressão de boa vontade”, facto que prova as excelentes relações que Angola busca manter com os seus vizinhos.

O embaixador angolano na Zâmbia, Azevedo Francisco, esteve no aeroporto internacional Kenneth Kaunda para dar as boas vindas aos que chegavam e bom regresso aos angolanos que regressavam, finalmente, ao país. Laurence Chalungumana, embaixador da Zâmbia em Luanda, é citado pelo Lusaka Times como tendo expressado gratidão e reconhecimento pela pronta resposta das autoridades angolanas que colocaram ao dispor uma aeronave da TAAG para a realização do voo humanitário.

leave a reply