Mamã Ndonana

Era apesar de tudo divertido. A mama Ndonana vendia bombo com jinguba torrada. E micate. Curiosamente, muitos de nós estudaram na micate. A “Micate “ depois converteu-se na sede da “Jota “ ou qualquer coisa assim – é já confusa a memória.

Nas nossas idas e voltas para e da escola comprávamos ou o matabicho ou almoço na mama Ndonana. Minto: a banca da mamã Ndonana ficava mais próxima da Escola da “Paracuca “.

Uma vez, ao tentar transpor um dos portões do campo de São Paulo, o Vito morreu. Um tempo em que quando não havia recursos os miúdos pobres do bairro Indígena, congolenses e arredores subiam nos eucaliptos para espreitar os filmes em exibição no “Ngola “. Filmes como “Advinha quem vem jantar “ com Sidney Poytier, primeiro negro galã de Hokliwwod. Acho.

A nossa infância e o comércio da vovó Ndonana processava -se em torno do triângulo prédios dos congolenses, mercado do mesmo nome e o campo do S. Paulo.

O campeonato distrital, geralmente à noite nos dias de semana e de manhã aos sábados e domingos, era dominado pelo ASA, Benfica de Luanda e Sporting de Luanda. Mais tarde apareceu o Futebol Clube de Luanda por volta de 1973, se a memória não foge.

O nosso “amor” era, porém, o” Torneio Cuca” com todos aqueles heróis: Zaragateiro, Eduardo André, Matreira, Lourenço Dias. Nesses dias do Torneio Cuca “ havia filas no lugar da mama Ndonana.

Muito antes das filas da Padaria Leão nos confrontos entre os três movimentos de libertação nacional, antes da independência. Muitos governantes de hoje é só por despeito que não admitem que jantavam bombo com jinguba da mamã Ndonana.

Diga-se também que eram várias as sanções que os pais aplicaram aos filhos por roubarem as moedas do pão para ir na mama Ndonana.

Geralmente de manhã: -Vadito ! – Papá… (o prevaricador, murcho, quase já a fazer a confissão) – Você já sabe como o teu pai é… Dá com uma mão mas bate com a outra. – Papá… – Cama-te, ainda não acabei de falar.

Onde estão as moedas que estavam no cafocolo do papá? A resposta insatisfatória dava direito a uma sessão de “descarrego.” Consubstanciada numa valente coça e que deixava invariavelmente de cama o castigado.

Mas, eventualmente, algumas mães observavam uma greve de sexo em sinal de protesto. Mamã Ndonana foi embora para os EUA. Ninguém mais se lembra dela. A excepção do meu amigo Dr. Matadi Daniel.

Kajim Bangala 

error: Content is protected !!