Profissionais de comunicação destacam-se nos Troféus Moda Luanda 2020

O apresentador do programa “Viva a Tarde” da TV Zimbo, Igor Benza, o jornalista da Televisão Pública de Angola Cabingano Manuel e a dupla Scrô que Cuia e Nerú Americano destacaram-se na 23ª edição do Moda Luanda, com a distinção em duas categorias, durante a cerimónia virtual realizada ontem, Domingo, 23, a partir dos estúdios da Zimbo

Igor Benza foi distinguido como “Melhor Apresentador Talk Show” com o Viva a Tarde e “Melhor Momento Red Carpet Masculino”, com o Look em que se apresentou na gala Globos de Ouro Angola, realizada no ano passado.

Ambas subcategorias estão relacionadas com as categorias de TV e Cinema e de Moda, respectivamente.

O apresentador, durante o evento, agradeceu aos organizadores e aos fãs pela distinção, que ocorreu através de votação pública, tendo dito sentir-se feliz pelos prémios conquistados, um dos quais partilhou com o apresentador de Tv e também músico Daniel Nascimento, pela sua vasta experiência e profissionalismo.

O jornalista Cabingano Manuel, também na categoria de TV e Cinema, foi vencedor na subcategoria de “Melhor Apresentador de Programa Temático e Contributo do Ano Informação” com o programa “Na Lente” da televisão pública.

Cabingano referiu, na ocasião, sentir-se feliz com os prémios, pelo facto de ser o segundo ano consecutivo a ser premiado no evento. Quanto ao programa que dirige, disse ser importante saber que “a informação tem um pouco a ver com a vida dos cidadãos e o programa Na Lente a vida de todos”.

Por sua vez, a dupla composta por Scrô que Cuia e Nerú Americano, que se encontram em Portugal, venceu na categoria de Música Festa do Ano e Melhor Colaboração, com o tema musical de sucesso, do estilo Kuduru, “O Pintin”, mas não tiveram a oportunidade de acompanhar o evento presencialmente.

A gala teve, pela primeira vez, uma transmissão virtual.

Outras distinções

Durante o evento, ainda na categoria de TV e Cinema, o prémio de Melhor Actor e Actriz Drama recaiu a Pedro Hossi, com o seu personagem na novela “Prisioneira” emitida na TVI e Érica Chipassa no filme “Chaduka”, correspondente ao ano de 2019.

Na subcategoria de Melhor Actor e Actriz Comédia foi consagrado Costa Vilola pelo seu desempenho “No Cubico dos Tuneza” e Elisabeth Caley “Mimi” no programa “Sexto sentido”. Costa agradeceu a nomeação e a consequente distinção aos colegas do grupo

Os Tuneza e a todos os que votaram em si. Reconheceu que as conquistas tidas ao longo da sua carreira são resultado de um trabalho feito em equipa.

“É a 4.ª vez que sou nomeado, sendo a 3.ª no Moda Luanda. Por isso, agradeço a iniciativa da organização, com este evento que engrandece a cultura angolana, com o reconhecimento do trabalho dos artistas”, enfatizou.

Por sua vez, Elizabeth Caley agradeceu também aos organizadores do Moda Luanda, a sua família e a todos que contribuíram directa e indirectamente para o sucesso do seu trabalho.

As distinções nesta categoria prosseguiram com a premiação de Salú Gonçalves e Sandra Mainsel, como Melhor Apresentador e apresentadora Magazine da actualidade, com o programa “Fala Angola” da TV Zimbo e “África hoje” da TPA, respectivamente.

Henesse Cacoma e Zuleika Wilson venceram na categoria de Melhor Apresentadora Magazine Temático e Melhor Apresentadora Talk Show com os programas “Zap News” e “Viva a tarde”. Já o prémio Contributo do Ano/ Cinema foi para Ngouabi Silva, através do filme “Chaduka”.

Categoria de moda

O músico C4 Pedro foi reconhecido como o Melhor Modelo de Campanha de Publicidade, com o trabalho desenvolvido com o Banco Africano de Investimento, a Top Model do Ano, Amilna Lemos; Melhor Manequim Nacional, Vado Alves; Fotógrafo, Patrice de Lemos; Maquilhadora do ano, Juvenália Beuaty; Melhor Momento Red Carpet Feminino, Anna Joyce, com o look do Unitel Estrelas ao Palco, em que foi membro do corpo de jurados.

A Melhor Colecção do Ano de 2019 foi a “Revival”, da estilista Regarde Moi. A profissional dedicou o prémio a todas as estilistas da nova geração que com muito trabalho e dedicação têm apostado nas suas carreiras. Referiu ainda que o presente prémio resulta do trabalho e dedicação.

Categoria de música

Nesta categoria, tida como uma das mais concorridas, o grupo Mobbers venceu na subcategoria de Melhor Artista/Grupo de Música Moderna. Na de Melhor Performance Masculina e Feminina em Palco venceram Preto Show e Noite e Dia.

O prémio de Melhor Espectáculo 2019 foi para o “SSP 28 anos de carreira”, realizado na Baía de Luanda, numa produção da Karga Eventos.

O aspirante a músico Edgar Domingos, que também animou o evento com um dos seus temas musicais, foi reconhecido como Estrela em Ascensão, enquanto o Melhor Vídeo do Ano foi o “Perigosa”, de C4 Pedro e Anselmo Ralph”.

Troféus Carreira e Prestígio

Os troféus Carreira e Prestígio são indicados pela organização, dedicados a uma pessoa ou empresa dentro da área da moda, entretenimento ou comunicação social, pelo conjunto do seu trabalho ao longo dos anos, enquanto o segundo também a uma empresa ou pessoa, que tenha feito algo de especial, de relevo, no ano anterior. dentro de uma destas áreas.

Nesta senda, o troféu Carreira foi dedicado a modelo Mariza Gonçalves, pelos seus 20 anos de carreia, sendo uma das preferidas em vários eventos, como de moda e publicidade.

“Mariza dedicou o prémio a si, pelos desafios atravessados para alcançar o sucesso. Já o troféu Prestígio mereceu o humorista Gilmário Vemba, pelo progresso tido na sua carreira e a internacionalização do seu trabalho, que, consequentemente, levou o nome do país além-fronteiras.

Os desfiles

A 23ª edição do Moda Angola contou com a participação de cerca de 14 estilistas, as suas colecções foram mostradas por 15 manequins.

A mesma decorreu sob o lema “Néon Vibes”, em que as colecções basearam-se nas cores verde, amarela, pink, vermelha, laranja, camarão, lilás e outras, fazendo assim jus ao lema do evento, de carácter anual, emitido também no formato virtual, através da parceria com a plataforma de informação, Platinaline.

São colecções que ilustraram uma explosão de cores, cortes autênticos, desde roupas africanas, temas de praia com cores quentes, também feitas a mão com linha de crochêt, colecções vibrantes que espelham ousadia e acessórios com tons fortes e fluorescentes que se misturam com o romantismo.

A estilista Nadir Tati, que procedeu à abertura do evento, apresentou uma colecção composta por fatos pretos e camisas e vestidos com estampas africanas.

LayArt levou ao Moda Luanda roupas de praia, desde biquínis a calções e vestidos feitos à mão com linha de Crochêt. Soraya da Piedade, no seu trabalho inspirou-se nas cores neons e nos estilos dos anos 1980, numa paleta de cores pink, laranja, verde e preto.

Foram ainda apresentadas as marcas de vários talentosos como Sisters Paiva, Pretah, Minha Marcah, Conquistador, Regarde Moi, Manzvat, LayArt, Mussulus, Millucha Design, Wan Kiamy, La Atitude e Sangue Novo – alunos da escola de modelagem e estilismo Arte Fashion de Dina Simão.

Propostas que se estrearam no evento, com as suas roupas glamorosas com cores vibrantes.

Homenagem

Durante a exibição do evento foi ainda homenageado o actor e nadador angolano-português Pedro Lima (1971-2020), que foi encontrado morto na Praia do Abano, em Cascais, aos 20 deste mês.

O actor estava desaparecido havia dois dias e o alerta foi dado pela companheira, Anna Westerlund.

error: Content is protected !!