Talatona lidera a lista de Covid-19, sobe para 31 casos sem vínculo epidemiológico

Nas últimas 24 horas foram confirmados mais 15 novos casos positivos da Covid-19, dos quais cinco com vínculo epidemiológico em estudo, elevando a cifra para 31 casos nesta condição. O município de Talatona, em Luanda, lidera a lista com 53 casos. Por outro lado, mais dois pacientes recuperaram, revelou, ontem, em Luanda, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda

Franco Mufinda, falando na habitual actualização de dados sobre a pandemia no país, ontem, disse que 14 novos casos foram registados na província de Luanda e um no Cuanza- Norte, elevando-se a cifra desta província para nove casos positivos.

Segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública, 10 são contactos directos de casos positivos diagnosticados na clínica da Endiama, na capital do país, e no Cuanza-Norte, sendo que alguns se encontram em quarentena institucional.

Os outros cinco, sem vínculo epidemiológico, foram detectados ao longo de trabalho de rastreio nos centros de sentinela existentes no Hospital Jorgina Machel e nas clínicas Multiperfil e Girassol.

Os doentes foram à procura de serviços médicos em primeira instância por doenças respiratórias agudas, mas há também casos obtidos por recolhas amostras aleatórias.

Fez saber que as idades dos contagiados variam dos 22 aos 72 anos, com a predominância do sexo feminino com oito casos, e sete masculinos.

Sobre a e geo-localização dos casos, disse que as localidades mais afectadas em Angola e que concentram 70% dos casos desde o início da pandemia, quer nos casos importados, quanto nos casos de transmissão local e sem vínculos epidemiológico, são por agora sete.

Detalhou que Talatona lidera a lista com 53 casos, Cazenga 44, Belas 41 e Maianga 33 casos. Entretanto, Franco Mufinda contou que continuam a trabalhar com a Organização Mundial da Saúde (OMS), acompanhando os seus critérios de saúde pública na definição dos modelos epidemiológicos actuais.

Reconheceu haver conglomerados em que o número de casos é mais elevado, se comparados com outros. “Por enquanto, estes conglomerados não preenchem o critério de transmissão comunitária ou sustentada”, garantiu.

Explicou que só poderia ser se, na verdade, ocorressem grandes surtos, ou seja, um número elevado de casos confirmados e se não se conseguisse encontrar as cadeias de transmissão.

Olhando o número de testes positivos realizados e encontrados nos centros sentinelas que são unidades de terceiro nível como o Maria Pia, Américo Boavida e o Hospital do Prenda, bem como algumas clínicas privadas com bancos de urgência, facilmente se chega à conclusão de que não se reúne ainda os requisitos para determinar que se está diante de um caso de transmissão comunitária.

“Informamos que nas últimas semanas temos um total de 31 casos sem vínculo epidemiológico, todavia, o Ministério da Saúde continua a investigar e a trabalhar nesses conglomerados e nas áreas circunvizinhas, reforçando as medidas de saúde pública e fazendo a testagem aleatória”, garantiu.

Governante apela ao redobrar de cuidados Franco Mufinda reiterou que a situação inspira cuidados redobrados de todos, a título individual e colectivo, e que não se deve, de forma alguma, prescindir deles.

“Devemos aceitar que a doença existe. Que ela é de fácil transmissão e mata. Continuamos a apelar à nossa população para acatar as medidas que são de cumprimento obrigatório”, apelou.

Assim sendo, a estatística aponta para 259 casos positivos, dos quais 10 óbitos, 166 activos, mais 13 em relação ao dia de ontem e sobem para 83 os recuperados, devido à recuperação de mais dois nas últimas 24 horas.

Entretanto, a província de Luanda é o epicentro, com 255 casos positivos, seguida pelo Cuanza-Norte, com nove. Os casos de transmissão local sobem para 193.

Disse que o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) registou, nas últimas 24 horas, 56 chamadas, sendo 12 denúncias de violação do estado de calamidade pública, uma denúncia de casos suspeitos e 43 pedidos de informação sobre a Covid- 19.

Por outro lado, o secretário de Estado disse que o laboratório tem total cumulativo de 23.963 amostras recebidas, das quais 259 positivas, 18.372 negativas e o resto encontra-se em processamento.

“Nas últimas 24 horas, a nível dos nossos laboratórios, conseguimos processar 445 amostras, dos quais 15 foram positivas”, contou. Franco Mufinda disse ainda que se encontram em quarentena institucional no país 1.012 pessoas e, no período em referência, 34 pessoas receberam alta, sendo 30 na província de Luanda, duas no Huambo e uma tanto em Cabinda como no Cuanza-Norte.

Fez saber que os casos suspeitos investigados até agora são 515, enquanto sob investigação e vigilância estão 2.215 pessoas. Por outro lado, revelou que ontem teve início o estudo serológico a conglomerados e mercados que a Direcção Nacional de Saúde Pública está a levar a cabo.

O estudo tem o fito de colher evidências científicas para se saber se há, ou não, transmissão comunitária.

error: Content is protected !!