Rumo ao sucesso, como?

O último artigo, com o título “Conhecem os Nano-empresários?”, suscitou algumas dúvidas a alguns leitores. Assim, decidi pegar na base central do artigo e hoje trazer até si como podemos desenvolver a proposta que foi direccionada para os Centros de Acção Social Integrado (CASI), ou seja, como torna-los mais apelativos e conhecidos. 

Recordando, propus um plano de Marketing, divulgado e com garantias, que chegasse ao público-alvo, pois sem esta acção não se consegue alcançar o objectivo pretendido. 

A minha proposta, enquanto economista e formadora, para informar os interessados sobre a dinâmica destes Centros de Acção Social Integrados (CASI): 

  1. Criar um Link “CASI” que esteja no site do MASFAMU (Ministério daAcçãoSocial, Família e Promoção da Mulher): estamos na era da informática do conhecimento, pelo que mesmo que os pais não saibam como funciona, lembre-se que em casa há sempre gerações curiosas, que podem servir de apoio aos mais velhos; 
  2. CASI pode estar disponível para todos, por exemplo: www.CASI.gov.ao ou www.CASI.masfamu.gov.ao tente entrar no site da MASFAMU https://www.masfamu.gov.ao/  onde existe uma secção chamada serviços – (se pensarmos que CASI é um serviço integrado da MASFAMU) mas infelizmente não temos nenhuma informação; 
  3. Disponibilizar a informação do serviço quer numa plataforma digital quer em formato “flyer” (publicidade em papel) de acordo com osobjectivosde cada Administração; 
  4. Estando em site, pode ser abrangente para todo o país e não ficar apenas limitado a uma província;
  5. Existirem equipas formadas pela MASFAMU que dão apoio às administrações de cada província. Estas equipas não servem apenas desuportemas terão também o papel de avaliar a estatística do sucesso que cada Centro de Acção Integrado regista. 
  6. Definição de Sucesso (dar oportunidade a novos desafios): deve ser definido um plano que crie novos negócios e oportunidades para todos os agentes económicos que denomino de Nano-empresários entre as Administrações e a MASFAMU, de acordo com as necessidades de cada Administração.
  7. Requisitos: lembrando sempre que o nosso Nano empresário poderá ser iletrado, evite a burocracia (crie um processo de aprovação simples) e o excesso de documentação legal.

De nada nos valem estes centros (CASI) serem inaugurados e não se perceber como fazer parte deles. Onde estão e para que servem? 

No último artigo ainda abordei a preocupação de dar a conhecer os Requisitos para o Micro crédito bem como para um plano de Formação o desenvolvimento destas duas acções será matéria dos próximos artigos. 

Entre várias pesquisas, pude verificar que temos Centros criados com o mesmo objectivo em vários países. Nesse sentido, recomendo que os responsáveis pelos centros pesquisem e de lá tirem ideias que possam servir para alavancar o processo integrado, tendo em conta a nossa sociedade/realidade económica. Sugiro este site: https://www.sspsp.pt/produtose-servicos/cias.html 

Nunca se esqueçam que o cliente em causa para qualquer projecto económico e social é o comerciante (de rua, da praça!!) que não está credenciado. Este, antes de chegar e alcançar os seus objectivos pessoais como Nano- empresário, necessita de ser informado, orientado e formado. 

E creio que não seja difícil conquistá-los, criando planos simples onde possamos ter pacotes de formação cívica (onde e como devem actuar) e financeira (como iniciar o seu negócio, tendo em conta o micro-crédito). 

Volto a lembrar que este papel não tem que ser apenas do Executivo, dado que a sociedade também deve contribuir e apoiar. 

#Trabalhe com protecção 

Kénia Camotim
Economista! 

error: Content is protected !!