Bispo Macedo diz que pastores “rebeldes” angolanos e seus descendentes estão amaldiçoados

O líder-fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, afirmou que os pastores angolanos que se rebelaram contra a liderança brasileira estão amaldiçoados e vão descer “à sepultura mais cedo do que possam imaginar”

Numa chamada videoconferência, transmitida pelo canal televisivo Fé TV, propriedade da IURD, às 16 horas de Sábado, o líder disse acreditar que os acontecimentos na Universal em Angola têm as impressões digitais do bispo dissidente João Leite, antigo responsável do trabalho evangelístico no país.

Falando para três pastores angolanos acompanhados pelo bispo Honorilton Gonçalves, actual responsável da IURD em Angola, Edir Macedo lembra, porém, que o antigo líder da IURD no país foi afastado da obra por, alegadamente, ter cometido o pecado de adultério.

O “homem de Deus” sustenta a sua tese alegando que João Leite prometeu, por via de um telefonema a um amigo seu, guerrear contra o responsável da IURD em Angola.

Uma outra figura que não foi poupada na videoconferência de Sábado foi o antigo vice-presidente da Igreja, João Bartolomeu.

Sobre este, Macedo argumentou que aquilo que lhe chegou como informação (ao Brasil) é que ele se tinha desviado dos ensinamentos da Bíblia e da igreja.

Voltando novamente à questão dos pastores “rebeldes” angolanos, o líder de um dos maiores movimentos religiosos do mundo considera ser normal que situações desta natureza ocorram no seio da igreja, até porque é dirigida por homens, mas ai “daquele por quem tais escândalos acontecem”, adverte.

Bastante incisivo nas críticas, e sustentando-as em pressupostos bíblicos, o líder mundial da Igreja Universal do Reino de Deus, que recordou o período de conflito armado em que os primeiros missionários chegaram a Angola.

Avisa os pastores angolanos que ele não é “dono da igreja, o é, sim, o Espírito Santo. Logo, quem se rebelou fê-lo contra a terceira pessoa da Santíssima Trindade: (…) São raças de víboras”.

O bispo Edir Macedo refere que os pastores contestatários agiram desse jeito porque não se
quiseram sujeitar à disciplina imposta pela IURD, tendo, por isso, enaltecido o facto de alguns pastores angolanos não se terem juntado aos que classifica de “rebeldes”.

O actual líder da IURD em Angola, bispo Honorilton Gonçalves, aproveitou a oportunidade para se queixar ao seu superior. “(…) E…bispo, eles distorceram as tuas palavras proferidas na Quinta-feira. Eles disseram ai ‘bispo Macedo amaldiçoa Angola (…)’”, queixou-se, para logo a seguir assegurar que a Igreja Universal “não negoceia com rebeldes”, descartando, desde já, qualquer possibilidade de aproximação com os irmãos desavindos.

No vídeo a que o bispo Honorilton Gonçalves faz menção como tendo sido distorcida a mensagem de Edir Macedo, este diz que “a boca do inferno vai se abrir e eles todos vão descer junto com as suas famílias, seus filhos. Todos serão amaldiçoados. Eles vão deixar uma maldição para as suas gerações. Se deixarem gerações”.

Em resposta, Edir Macedo reconfortou-lhe, dizendo que não se preocupasse porque a qualquer momento o caso se reverteria a favor da sua ala (brasileira) e os pastores que hoje contestam vão descer à sepultura “mais cedo do que possam imaginar”.

No final, Honorilton Gonçalves agradeceu a “oportunidade” que o bispo Macedo lhes concedeu, salientando que as palavras de Edir Macedo “eram água viva”.

O programa de Sábado terminou com o depoimento de um bispo angolano, acompanhado da esposa, a lamentar reprovar a acção dos seus irmãos.

Pastores não acreditam na maldição lançada por Edir Macedo

Em declarações à Rádio Mais, o porta-voz da Comissão de Reforma da IURD, pastor Jimi Inâcio, considerou o discurso de Edir Macedo como o desabafo de alguém que acabou de perder algo valioso que achava ser sua pertença.

Disse ainda que não acredita em alguma maldição que possa vir do fundador da IURD, por considerar que, segundo a Bíblia Sagrada, aquele que é ungido por Deus nenhuma maldição bate a sua porta. Além de que, segundo ele, a Bíblia diz que aquele que lança praga contra a alguém, a mesma recai sobre si na mesma proporção.

Enfatizou que apesar da “maldição” lançada pelo líder mundial da IURD, desejam-lhe o contrário.

Por outro lado, declarou que estiverem recentemente reunidos em assembleia, na qual definiram os pontos que vão nortear as acções da igreja doravante, entretanto, ela já está em acção. Algumas coisas, no que tange aos dísticos da igreja, serão alterados.

“Como são uma das prioridades daquilo que é o pacote de mudança… temos questões mais relevantes por agora, não vou adiantar as mudanças. Porém, a princípio serão efectudas algumas a nível estrutural”.

Igrejas criadas por dissidentes da IURD

A IURD, considerada como a maior igreja neopentecostal do Brasil, vem há décadas registando rupturas alegadamente resultantes da forma como a mesma e gerida pelo seu fundador e líder, Edir Macedo.

Um dos primeiros dissidentes da IURD é Romildo Ribeiro Soares, mais conhecido como o missionário RR Soares, que criou Igreja Internacional da Graça, depois de abandonar Edir Macedo em 1980.

Outro dissidente de maior peso é Valdomiro Santiago, antigo bispo, que dias depois de ter abandonado a equipa de Edir Macedo criou a Igreja Mundial do Poder de Deus, em 1998.

Seguiu o mesmo caminho o antigo sucessor oficial do fundador da Universal, Romualdo Panceiro, que também criou a sua denominação religiosa. Dois anos depois de ter deixado a igreja, num vídeo publicado nas redes sociais, Romualdo Panceiro anunciou a criação da sua própria denominação, a Igreja das Nações do Reino de Deus.

Constantino Eduardo

error: Content is protected !!