PNA em luto- Desta vez marginais tiram a vida a um comandante de esquadra

Andamos a defender os marginais e apontar o dedo nos policiais, dizendo que eles não respeitam os direitos humanos, agora onde está os direitos humanos destes bravos guerreiros que morrem em defesa da vida dos cidadãos?

É bem verdade que a vida deve ser respeitada por todos e nenhuma vida é superior a outra, mas muitos de nós se fosse a polícia a matar já entrariam com dados estatísticos a dizer que a polícia matou mais que a Covid-19, mas agora onde estão os mesmos estatísticos para nos falarem quantos policiais já morreram em serviço e quantos foram agredidos na mesma situação no igual período comparativo?

Estou certo que este Comandante que foi morto hoje tem família e muito fez para que a segurança das pessoas na sua área de jurisdição fosse garantida. Eu critico muita das vezes o trabalho policial, mas quando um deles morre em serviço lágrimas me caem aos olhos pelo reconhecimento que a população as vezes não dá a quem arrisca sua vida para nos proteger.

A esposa do meu vizinho a dias passou muito mal quando ia ao mercado e por sorte agentes da polícia passavam naquele local, prontamente a socorreram para um hospital e os médicos afirmaram que se não fosse levada a tempo perderia sua vida. São estes feitos e outros que devem ser enaltecidos por todos nós cidadãos comuns.

Neste momento aonde foram os analistas que só sabem falar que a polícia matou e não que a polícia morreu no cumprimento da missão? Gostaria que muitos que só sabem fazer isso vivessem nos bairros e periferias para saberem do risco que correm os moradores e os policiais que ali tentam garantir a segurança, só assim eles valorizariam mais a vida destes senhores e o trabalho que levam a cabo.

Mas enfim, é mais um policial que morre e se continuarmos a defender aqueles que sem dó tiram a vida dos cidadãos e dos agentes da autoridade, vamos acabar num caos e a polícia não vai desempenhar suas funções como deve ser.

PENSEMOS NISSO E MUDEMOS AS NOSSAS ATITUDES.

Daniel Furtado Mendes

leave a reply