Délcio Caiaia desenvolve projecto literário “Matriz Africana do Design Gráfico”

Trata-se de um E-book apresentado, em Maio último, na plataforma Zoom devido à pandemia da Covid-19. Nesta I edição o pan-africanista ganense Kwame Nkrumah é o homenageado

De autoria do designer angolano Délcio Caiaia, o projecto literário Matriz Africana do Design Gráfico”, é um E-book disponível para download gratuito no Facebook através da página DC Entertainment e a sua abordagem versa sobre o olhar crítico ao posicionamento de África na arena global do Design Gráfico.

Em entrevista a OPAÍS, o autor da obra referiu que este projecto literário resulta de reflexões que tem vindo a efectuar sobre expressão visual autónoma de África na arena Mundial do Design Gráfico, quanto à exposição deliberadamente estereotipada do continente-berço.

“Matriz Africana do Design Gráfico, surge como manual de consulta e contributo (junto dos outros materiais que já têm sido desenvolvidos por autóctones) para o conhecimento e reconhecimento de África como detentora de uma expressão visual própria, autónoma, extremamente rica e comunicativa”, explicou.

Nesta I edição o foco recai para três tecidos africanos, compostos por ideogramas comunicativamente ricos e expressivos, designadamente  Adinkra (Ashante-Ghana), Bogolan (Bambara-Mali) e Kenthe (Ashante-Ghana e Ewe-Togo).

“Para os profissionais de Design Gráfico, o e-book também traz matrizes resultantes dos símbolos gráficos, no sentido de influenciar e promover o uso de símbolos africanos como estruturas criativas de paginação e não só. Por fim, faz-se uma apresentação conceptual e psicológica das cores dentro do contexto africano”, conta o designer.

 Matriz Africana

Segundo o jovem Délcio Caiaia, Matriz Africana é por tratar-se de um design que expressa a África, de forma verdadeira, representando-a como autónoma, expressiva, rica, viva e comunicativamente forte.

No contexto do design contemporâneo, ela influencia no contributo ao posicionamento de África como autónoma dentro da expressividade em Design Gráfico; assim como influencia o olhar não só estético, mas, sobretudo, comunicativo da expressão artística visual africana em Design Gráfico.

Para o autor, a Matriz Africana combate a expressão visual estereotipada de África, contribui na compreensão real dos conceitos subentendidos em cada símbolo, ideograma e manifestação artística visual africana; bem como compreensão de África como inspiração e base de criação de muitas tendências anteriores, actuais e futuras, do design gráfico.

E-book gratuito

A disponibilização gratuita da primeira edição, tem como foco facilitar a compreensão das reais intenções do projecto literário, na perspectiva de conceder a cada africano a possibilidade de sentir-se parte desta empreitada de educação, resgate e registo do que os caracteriza e diferencia na arena global da expressão visual, sobretudo em Design Gráfico.

 Projecto contínuo

Délcio Caiaia fez saber que este projecto literário será contínuo e contará com profissionais africanos de Design Gráfico de outros países. “Iremos até onde for possível para demonstrar África como África na Área de Design Gráfico. É um compromisso que temos como africanos e profissionais de Design Gráfico”.

Se porventura tudo correr bem, e há essa intenção, de acordo com o programado, far-se-á a apresentação, no próximo ano, do livro no Ghana e Angola (para a primeira edição) e também Moçambique e Angola (para a segunda edição).

“Ghana e Angola para a primeira edição, porque o líder africano homenageado na primeira edição é Kwame Nkrumah. Moçambique e Angola para a II edição (que tem o lançamento previsto para 19 de Setembro) porque o líder africano homenageado será Samora Machel”, enfatizou.

Com esta iniciativa e com a experiência acumulada, o jovem designer pretende continuar a compartilhar a investigação, educação, reeducação e, sobretudo, registo dos traços da expressão visual africana em Design Gráfico, pretendendo-se atingir o mundo.

O autor

Délcio Akweto Gomes Caiaia nasceu em Luanda e é filho de Francisco João Caiaia e Adalberta Jamba Gomes. Considera-se amante da arte, da liberdade de pensamento e da criatividade. Estudante de Arquitectura na Universidade Autónoma de Lisboa.  Designer gráfico, consultor identitário e formador na área de design gráfico, CEO da DC Entertainment e Fundador da Rede Angolana de Intercâmbio Profissional, Apoio ao Posicionamento Mercadológico e Instrução de Aspirantes a Designer Gráfico Freelancer (UP Designer). Dedica o seu tempo entre a formação académica e as várias actividades e projectos que tem vindo a desenvolver e a colaborar.

error: Content is protected !!