Austrália isolará 300 mil moradores de subúrbios de Melbourne após novo pico de Covid-19

As autoridades isolarão cerca de 300 mil pessoas nos subúrbios ao norte de Melbourne durante um mês, a partir desta Quarta-feira, para conter o risco de infecção após duas semanas de aumento no número de novos casos de coronavírus no segundo Estado mais populoso da Austrália

A Austrália saiu-se melhor do que muitos países na gestão da pandemia, com cerca de 7.830 casos e 104 mortes, mas o recente aumento alimentou o medo de uma segunda onda de Covid-19, ecoando preocupações expressas noutros países.

Globalmente, os casos do vírus ultrapassaram os 10 milhões no Domingo, um marco importante na disseminação da infecção respiratória, que já matou mais de meio milhão de pessoas em sete meses.

A partir da meia-noite, mais de 30 subúrbios da segunda maior cidade da Austrália retornarão ao terceiro nível de restrições para controlar a pandemia. Isso significa que os residentes ficarão confinados em casa, excepto para compras em supermercados, consultas médicas, trabalho, prestação de cuidados e exercícios.

As restrições serão acompanhadas pela realização de testes, que as autoridades esperam estender à metade da população da área afectada e para locais cujas fronteiras serão patrulhadas, disseram as autoridades.

“Se todos nós permanecermos juntos nessas próximas quatro semanas, podemos recuperar o controlo dessa transmissão comunitária… na região metropolitana de Melbourne”, disse o líder do Estado de Vitória, Daniel Andrews, em entrevista. “Em última análise, se eu não isolasse esses locais, todas as regiões seriam fechadas. Queremos evitar isso.”

O pico de casos em Vitória tem sido associado a funcionários de hotéis que hospedam viajantes que retornaram ao Estado, mas não seguiram rigorosamente os protocolos de quarentena. As autoridades estatais anunciaram uma investigação sobre o assunto.

error: Content is protected !!