INADEC apreende cerca de 20 toneladas de produtos impróprios para o consumo

O Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC) apreendeu durante o mês de Junho, em todo o país, cerca de 20 toneladas de produtos expirados, mal conservados e impróprios para o consumo humano, segundo a chefe de departamento de formação e divulgação de práticas comerciais e serviços em Luanda, Joana Tomás

Dos produtos apreendidos destacam-se dois mil quilos de rolão de milho, 25 mil e 674 kg de farinha de milho de origem argentina, 12 mil e 350 kg de farinha de trigo, 60 caixas de massa alimentar do tipo macarrão de marca Primavera, 32 sacos de açúcar Crystal, de 50 kg e 30 sacos de leite em pó completo Bela Vida de 25 kg.

Ainda no âmbito da fiscalização dos mercados, foram também apreendidas 31 kg de peixes piazete congelado, bem como mil e 280 kg de costeletas de porco de origem no Canadá, e 79 garrafas de gás butano cheias e 26 vazias, por especulação de preços.

Segundo Joana Tomás, no âmbito do apoio ao consumidor, o INADEC restituiu aos consumidores cerca de 50 milhões de Kwanzas e em sede de mediação mais de 72 conflitos de consumo durante o mês de Junho.

Houve a entrega de um imóvel avaliado em 30 milhões e 710 mil e 450 Kwanzas a uma consumidora que reclamava da imobiliária Imogestin, SA, a composição de um acordo em torno do contrato de compra, bem como a venda de um imóvel na modalidade de renda resolúvel, equivalente a 268 mil dólares, à favor da utente que reclamava da imobiliária Urbanização Kutotolola.

Call center regista em três dias mais de 700 chamadas

Joana Tomás realçou que em três dias de funcionamento o serviço de call center registou 734 chamadas, das quais 188 reclamações, 86 denúncias, 380 pedidos de informação, um elogio e 79 mensagens pelo WhatsApp.

Dados estatísticos apontam 71% para a província de Luanda, cinco para Benguela, quatro para Huíla, sendo os 29% distribuídos pelas demais províncias, com excepção do Cuando Cubango que não registou qualquer chamada.

A chefe do departamento de formação e divulgação de práticas comerciais e serviços em Luanda lembrou que o call center, com o n.º 126, é uma linha grátis e extensiva a todas as províncias do país, com atendimento das oito às 18 horas com várias opções de atendimento.

Foi criada com o objectivo de garantir mais comodidade e maior celeridade na resolução das reclamações e denúncias, bem como prestar informações e apoio jurídico entre outros motivos de interesse dos consumidores. O INADEC tem em funcionamento desde o passado dia 23 do mês de Junho.

Entretanto, ainda no que concerne ao apoio ao consumidor, o INADEC registou, no período em referência, 241 reclamações pelos canais habituais, resolveu 141, e encontram-se em fase de resolução 169, dos quais 69 transitaram do período anterior.

No domínio do acompanhamento e controlo do mercado de consumo, o departamento de estudo do mercado e os serviços provinciais do INADEC realizaram 525 visitas de constatação, tendo registado 270 infracções, 46 denúncias, 27 apreensões, três descelagens, 10 acções de inutilização de produtos caducados e impróprios para o consumo.

Suspendeu temporariamente a actividade em dois estabelecimentos comerciais, expediu 214 notificações, realizou 70 acções de aconselhamento e 108 acções de sensibilização, como resultado de algumas medidas de profilaxia do mercado de consumo e por estar em causa a saúde e segurança dos consumidores.

INADEC relembra a todos os fornecedores, que a produção e comercialização de produtos em condições que ameaçam a saúde dos consumidores e impróprios para o consumo em nada beneficia a sua actividade. Pelo facto, aconselha que devem agir com honestidade e pensar na qualidade, tendo em conta que cliente satisfeito, é garantia de retorno ao seu estabelecimento.

error: Content is protected !!