Cidadãos da província do Zaire defendem maior divulgação do património mundial

Participantes de uma Mesa Redonda sobre “Valorização e Preservação do Património Mundial concluíram haver pouco conhecimento, por parte dos citadinos, do carácter excepcional dos atributos materiais e imateriais desta localidade, que lhe valeram a inscrição, em 2017, na Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), no universo dos patrimónios.

Os intervenientes admitiram a ausência de diálogo e interacção entre as autoridades tradicionais e a nova geração para a transmissão de conhecimentos, e o “legado”, sobre a herança cultural desta região do país.

Isabel Morena, ex-administradora municipal, Agnelo Alberto (em representação da juventude local), e o reverendo Isaías Timóteo convergiram na necessidade de se divulgar mais o património local, realizando-se colóquios, dada a sua importância histórica.

Apelam aos académicos e a população, em geral, para comprometerem- se e engajarem-se nesta tarefa, assim como solicitam a actualização do roteiro e guia turísticos da cidade.

Organizada pela rádio local, a mesa redonda enquadra-se nas comemorações do 2º aniversário desde a elevação da cidade a Património Mundial, a assinalar-se no próximo dia oito.

error: Content is protected !!