Angola a um passo dos 400 infectados e com 22 óbitos de Covid-19

Nas últimas 24 horas foram confirmados mais 10 novos casos de contágio por Covid-19 na província de Luanda, dos quais um óbito, elevando a contagem de mortos para 22. Os casos positivos totais são agora 396, havendo 117 recuperados, anunciou, ontem, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda

Nesse momento, o país regista 396 casos confirmados, dos quais 257 estão activos, seis requerem cuidados especiais, um está em estado crítico e os restantes clinicamente estáveis nas unidades sanitárias de referência. A estatística indica 101 pessoas sem vínculo epidemiológico.

Em declarações à imprensa na habitual actualização do balanço diário sobre a pandemia no país, em Luanda, Franco Mufinda, disse que os novos pacientes têm idades que vão dos 7 aos 84 anos, sendo seis do sexo masculino e quatro do feminino.

No que tange a distribuição por localidades de casos, apontou Viana, Belas, Maianga, Cazenga, Ingombota e a Samba como as mais afectadas.

Em relação ao último óbito, apesar de não revelar a idade, Franco Mufinda explicou que se trata de uma cidadã angolana que aparentava ser saudável há mais ou menos uma semana, altura em que iniciou um quadro de astenia marcada por cansaço e febre.

“Inicialmente, foi reportado um quadro como se se tratasse de malária. A posterior, nos últimos dias, ela iniciou com um quadro de descuido respiratório que se agravou, apesar das medidas que foram tomadas, tendo culminado em óbito”, disse.

Franco Mufinda fez saber que as autoridades de saúde começaram a intensificar a testagem na comunidade, com enfoque em alguns grupos de risco e nos hospitais de referência, bem como em grandes conglomerados em que, na sua maioria, as medidas de bio-segurança não estão a ser cumpridas.

“Temos vindo a anunciar desde a semana passada a recepção de testes rápidos da Abbot, que são testes autorizadas pela FDA, que é a entidade norte-americana que certifica medicamentos e produtos alimentares inerentes ao ser humano”, recordou.

No entanto, garantiu que tais testes têm uma alta sensibilidade e especificidade, possibilitando que se faça um rastreio mais seguro em determinadas populações.

O governante explicou que em caso de ser um teste reactivo, nem sempre significa que o caso é positivo. Pode significar, por um lado, o despoletar do processo da imunidade que expressa a leitura da chamada IGG na comunidade, ou expressar que a pessoa está na fase activa que é IGM, ou seja, tem essas duas possibilidades.

1000 pessoas testadas no mercado do Cantiton

Por outro lado, Franco Mufinda disse que 1.000 pessoas que frequentam o mercado do Catinton fizeram, ontem, o teste de Covid- 19. Dentre elas, 44 foram reactivas aos testes e, destas, três tiveram a banda IGM, ou seja, três pessoas expressaram que estão na fase activa da doença.

Entretanto, o governante advogou a necessidade de se isolar o mercado e aos testados do conjunto dos demais que passaram pelo processo de rastreio comunitário.

Disse que as 41 pessoas que tiveram leitura IGG já construíram imunidade, sendo que já se cruzaram com o vírus.

Segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública, a província do Cuanza-Norte fez esse tipo de teste nos dias 6, 7 e 8. Nos dois primeiros dias conseguiram testar 481 pessoas, destes 27 reagiram ao teste serológico, sendo que cinco já estavam na fase activa da doença, enquanto 22 já tinham constituído imunidade.

“Somando 44 mais 27, isso nos leva a 71 pessoas que foram reactivas ao teste e ao procedimento a seguir é a colheita das amostras para o encaminhamento ao laboratório que faz o exame a base da biologia molecular”, detalhou.

Contou que ainda que além desses casos que reagiram também somaram alguns casos negativos no seio da comunidade.

Polícia preparada para multar cidadãos sem máscaras na via pública

O director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior, sub-comissário Waldemar José, adverte que a partir de hoje o cidadão que for apanhado na via pública, nos mercados, nos transportes colectivos ou em qualquer estabelecimento comercial sem o uso de máscara será conduzido a uma esquadra policial e será retido. Se não efectuar o pagamento da multa será remetido a julgamento sumário para que o magistrado judicial faça a sua parte.

Disse ainda que quem for encontrado com a máscara mal posicionada será aconselhado. Waldemar José apela aos cidadãos para não darem a oportunidade de lhes ser aplicada a multa e / ou detenções, acatando as medidas previstas na lei. “Caso contrário, as forças de defesa e segurança serão obrigadas a aplicá-las”.

Fez saber a multas aplicadas aos cidadãos devem ser pagas na Conta Única do Tesouro do banco BCI, com o número 63557990/10/001, e tem como Iban AO-06000-50000-63557-99010-197. “Toda e qualquer infração que for cometida pelos cidadãos e que será resultante na aplicação de uma multa é para essa conta que deverá ser paga”, frisou.

O sub-comissário apresentou, ontem, as medidas a ser implementadas pelas forças de defesa e segurança, à luz do Decreto Presidencial nº 184/20, de 8 de Julho, que começou a vigorar hoje.

Este diploma legal estabelece as medidas a implementar durante a vigência da cerca sanitária em Luanda e no município do Cazengo, província do Cuanza-Norte.

País com 330 casos de transmissão local

O secretário de Estado para a Saúde Pública fez saber que foram investigados 515 casos suspeitos, enquanto os contactos sob investigação chegam 2.270 pessoas e os casos de transmissão local apontam para 330.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu, no período em referência, 118 chamadas, das quais sete denúncias de casos suspeitos de Covid-19, 14 denúncias de violação do estado de calamidade e 97 pedidos de informação sobre o vírus.

Disse que, fruto do aumento de casos, foram tomadas medidas de reforço, com o objectivo primordial de cortar a cadeia de transmissão. São medidas que orientam, sobretudo, o uso obrigatório de máscara em todos os locais públicos.

Reiterou o distanciamento físico, a redução das aglomerações de pessoas, a lavagem das mãos com frequência com água e sabão, a não violação das cercas sanitárias e a manutenção das mesmas olhando para o Cazengo.

Por outro lado, Franco Mufinda disse que os angolanos que já se encontram no país provenientes do Zimbabwe, Zâmbia e Índia, foram rastreados e apenas quatro pessoas testaram positivo, porém, continuam em isolamento.

Hoje mais 2.000 pessoas serão testadas nos mercados do 30 e Kikolo

A campanha massiva de testagem aleatória nos mercados informais de Luanda prossegue hoje, às 8 horas, nos mercados do 30, município de Viana, e do Kikolo, município do Cazenga. Franco Mufinda fez saber que se pretende testar em massa mais 2.000 pessoas nos dois mercados.

Nas últimas 24 horas foram processadas 1.686 amostras, das quais 10 positivas e 1.676 negativas. No entanto, 1.481 foram testes rápidos serológicos realizados, sendo 1.000 em Luanda e 481 no Cuanza-Norte, dos quais 71 foram reactivos e aguardam confirmação por RTPCR.

Neste momento, o país tem um total de amostras recebidas de 31.319, das quais 396 positivas, 24.853 negativas e 5.328 se encontram em processamento.

Franco Mufinda disse, por outro lado, que a quantidade de pessoas a cumprir a quarentena institucional em todo país é de 935, sendo que, nas últimas 24 horas, 35 pessoas receberam alta, das quais 28 na província de Luanda, três no Huambo, duas na Huíla, uma no Bié e outra em Malanje.

error: Content is protected !!