“Luanda e Cazengo não podem prejudicar o país”

Depois de o Governo ter voltado a suspender as competições e treinos desportivos, face ao aumento de casos positivos de Covid-19 em Luanda e no Cazengo (Cuanza-Norte), o comentador Paulo Tomás disse, ontem, a OPAÍS, que as duas localidades supracitadas não podem prejudicar todo o país.

Paulo Tomás espera que aqueles pontos onde ainda não se registaram casos de Coronavírus comecem a criar condições de bio-segurança, de modo a retornarem às actividades, de forma tímida.

“Nas cidades que estão submetidas à cerca sanitária é viável a suspensão das competições, porque estamos cada vez mais ameaçados e não podemos esquecer que é muito por culpa do nosso comportamento”, reconheceu.

O antigo jogador dos Palancas Negras revelou que os angolanos não cumpriram devidamente as orientações das autoridades sanitárias, por isso, hoje, em função das debilidades de saneamento básico que há no país, verifica- se a propagação de casos positivos.

Apesar dos horários restritos, das 5:30 às 7:30 da manhã e das 17:00 às 19 horas, que foram permitidos para a prática de exercícios individuais até 9 de Agosto, Paulo Tomás aconselhou os desportistas a aproveitarem com consciência o período das actividades, mas com as medidas de prevenção que são exigidas.

Aliás, os treinos devem ser efectuados com o ajuntamento máximo de cinco pessoas, o contrário é passível de multa avaliada em cinco mil kwanzas. Para o comentador, conseguir dinheiro nesta fase está difícil e muito mais para pagar multas.

Aconselhou os fazedores de exercícios físicos a serem disciplinados, porque os agentes da ordem e de segurança vão fiscalizar todos os pontos de treinamento: “vamos preservar o bem vida!”.

leave a reply