APPEC focada na formação dos associados e fomento de eventos culturais

A Associação Angolana de Profissionais e Produtores de Eventos e Cultura (APPEC) pretende congregar os profissionais da indústria do entretenimento e cultural ao nível do país, a fim de coordenar, formar, orientar e defender os seus interesses no mercado nacional

O projecto criado em Abril (18), apresentado ontem à imprensa, pela Comissão Instaladora, actualmente, possui mais de 3 mil membros, ao nível do país, entre artistas, técnicos, casas de espectáculos, apresentadores, jornalistas culturais, influenciadores, seguranças de eventos, empresas organizadoras, produtoras, promotores e prestadores de serviços para eventos.

Entre os interesses a serem defendidos perante o mercado e as entidades institucionais, e órgãos públicos, consta o reconhecimento, valorização e respeito das actividades como organização, produção e prestação de serviços em eventos culturais. A associação quer ainda promover e incentivar as relações entre os associados, de modo a efectivar o intercâmbio técnico e comercial, através da promoção, realização e apoio de encontros, reuniões, eventos, cursos, projectos e similares.

O promotor de eventos, Kayaya Júnior, nas vestes de coordenador- geral da APPEC, disse que poderão fazer parte da associação todos os artistas e organizações interessadas, desde que obedeçam aos requisitos estabelecidos pelo estatuto da mesma, como o pagamento das quotas e o comprovativo da situação fiscal, para as empresas promotoras de eventos.

“Pretendemos unir profissionais que se revejam nesta associação. Ainda não temos uma estatística exacta em termos de associados, mas temos uma classe de profissionais, que a cada dia que passa está a crescer”, enfatizou.

No seu todo, a APPEC congrega a área de moda e eventos, teatro dança, música, cinema, fotografia, televisão, artes plásticas, literatura, prestações de serviços e locais de eventos.

Em cada área artística haverá um responsável perante a associação, que irá defender os interesses dos associados perante a assembleia geral.

Para o início dos trabalhos e implementação da associação foi criada a Comissão Instaladora que integra o músico Kizua Gourgel, como porta-voz, Karina Barbosa e Link Duílo que representam a área de moda e eventos, Walter Cristóvão e Gerson Iven, teatro e dança.

Nesta senda, está Jorge Semedo, Marito Furtado e Paulo Alves na música, Diogo Camões, cinema, fotografia e TV, Kanguimbo Ananás nas Artes Plásticas e Literatura, João Correia, Eduardo Rayagra, Manuel Novais e Adalberto Vilhena em prestação de serviços e Rosa Matias e Jorge Semedo na área de locais de eventos.

“Quando se fala de uma assembleia geral, naturalmente, congrega todos os representantes destas áreas, que representam os associados. Os membros, naturalmente, terão os seus direitos estatutários garantidos, quer o pagamento das quotas quer outros”, explicou o coordenador-geral.

Outras acções benéficas

A APPEC pretende ainda apostar no profissionalismo dos membros, com a realização de acções formativas dos mais variados sectores, como de educação financeira e gestão de carreira, para que possam gerir, render e suster as suas carreiras, para assim acudir situações precárias que possam advir no seu trajecto profissional.

O porta-voz, Kizua Gourgel, referiu que uma das vantagens de estarem associados à APPEC, para além de discutirem de forma unânime vários problemas, vão também procurar encontrar soluções benéficas para os mesmos.

Com base na conduta interna, entre prestadores de serviços, promotores, artistas e locais de eventos, conforme disse, os trabalhos devem ser priorizados para os membros, por forma a promover o intercâmbio, a troca de experiência, para que a associação seja mais atractiva e convidativa.

Avançou que, pelo facto de estarem congregados poderão rapidamente chegar a várias instâncias estatais ou privadas, para solucionar algumas questões.

“Vamos nos aproximar das instituições estatais, vamos procurar forma de propor projectos de lei, que defendam a nossa área, que tragam maior estabilidade, situação benéfica para os associados”, considerou.

Responsabilidade social

Como parte da responsabilidade social a associação tem o projecto “Por Angola”, que terá a sua primeira edição a 19 do corrente mês, através do show de homenagem com o consagrado músico Filipe Mukenga, no jardim do Memorial António Agostinho Neto, com todas as condições de biossegurança.

O espectáculo, obviamente, sem público, será transmitido em directo pela TV Zimbo e a Platinaline. O evento de cariz solidário, durante a sua emissão, terá os valores arrecadados revertidos a cestas básicas, para os artistas associados, entre instrumentistas, que desde Março último estão sem trabalhar por falta de espectáculos.

Estatuto da APPEC

A primeira reunião da APPEC ocorreu em Junho (5), reuniu membros do grupo de trabalhos, anteriormente constituído, para dar andamento aos trabalhos de instalação e legalização da mesma, onde foi também instaurada a Comissão Instaladora, que tem o dever de formalizar todo o processo de legalização, constituição e aprovação dos estatutos, o registo da marca e outros assuntos.

É intenção da associação possuir um edifício único, com vários compartimentos, a fim de congregar as várias áreas artísticas com os seus membros. “Aí poderão ter uma assembleia sectorial, onde cada área, como música, teatro, dança, artes plásticas e outras possam discutir assuntos do seu interesse. Terão uma assembleia para discutir os seus assuntos, que posteriormente serão apresentados pelo responsável da área na assembleia geral da APPEC”, disse o porta-voz.

error: Content is protected !!