APPEC homenageia Filipe Mukenga no seu primeiro espectáculo denominado “Por Angola”

Além da música, o show incluirá ainda a representação de outras disciplinas artísticas, como o teatro, a literatura, a dança, as artes plásticas, em diferentes palcos, de modo a permitir o distanciamento entre os presentes

A Associação Angolana de Profissionais e Produtores de Eventos e Cultura (APPEC), através do projecto “Por Angola” realiza neste Domingo, 19, a partir das 16 horas e 30 minutos, no jardim do Memorial António Agostinho Neto a sua primeira actividade; um show intitulado “Por Angola”, em que vai homenagear o músico consagrado angolano Filipe Mukenga.

O show que terá como tema central a Vida e Obra de Filipe Mukenga, conta com vários convidados, dos quais Sandra Cordeiro, Anabela Aya, Filho do Zua e será transmitido em directo através da TV Zimbo e a Platinaline.

O músico garantiu que o espectáculo apresentará um reportório cronológico, com canções cantadas desde o início da sua carreira, nos anos 60 até aos dias de hoje.

“Vou começar com a música “And I love her”, dos Beatles, e depois virão outras que nasceram logo depois da nossa independência, temas cantados antes da proclamação da “Dipanda” e outras
dos tempos actuais”, avançou.

Regozijado com a homenagem, Mukenga, enalteceu a iniciativa da organização, que pretende dar maior atenção aos artistas e fazedores de cultura, em geral, e sobretudo no que tange à indústria cultural, que começa de facto, a trilhar novos rumos.

“É mais uma homenagem para mim e para o meu trabalho. Agradeço a APPEC pela iniciativa, que fará com que a cultura angolana seja vista de outro modo. A nossa Cultura é a Torre Mestra da nossa vida. Então, precisa de ser cuidada, por gente que entenda das questões culturais. Ela precisa de uma atenção cuidada, quanto à formação e no investimento, em termos de infra-estruturas”, considerou.

Finalidade do espectáculo

O espectáculo, sem público, como parte da responsabilidade social da associação, tem como objectivo angariar donativos, que serão convertidos em cartões de compras numa cadeia de supermercados, para apoiar instituições de caridade e beneficência, bem como os fazedores de cultura e demais intervenientes do sector de cultura e eventos.

Karina Barbosa, membro da Comissão Instaladora da associação, que representa a área de eventos e moda, referiu que, com esta iniciativa, pretendem apoiar desde os cantores de base, assim como coristas, instrumentistas, o pessoal da área técnica, os motoristas e outros que se dedicam a actividades culturais, que neste momento estão em casa sem poder trabalhar, em consequência da nova doença da Covid-19.

“O número de profissionais, de facto, que trabalham neste sector, transversalmente, é de milhões e não de milhares, a nível nacional.

Começa do grande produtor de grandes festivais de 50 mil pessoas até ao produtor de base, que faz a sua festa semanal, que contrata outros trabalhadores, que estão totalmente desamparados. É também para elas esse projecto”, enfatizou.

Quanto ao evento, a também produtora disse que será representativo de toda a classe, desde o artista mais prestigiado, até aos principiantes. Além da música terá ainda a representação de outras áreas artísticas, como o teatro, literatura, dança, artes plásticas e a representação dos prestadores de serviços.

As distintas actividades serão realizadas em diferentes palcos, de modo a providenciar o distanciamento entre os presentes.

“Essas pessoas estarão todas aqui, com os seus conhecimentos, para levar esse grande espectáculo a todo o país. Temos as pessoas que trabalham nos bastidores dos eventos, que nesta fase são muito mais afectadas pela falta de trabalho, do que os próprios artistas, que todos conhecem”, lembrou.

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!