CFB retoma viagens Luena-Cuito-Huambo

Cinco meses depois da paralisação, o Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB) retomou, nesta Segunda-feira, as viagens no trajecto Luena-Cuito-Huambo e vice-versa

Os comboios de transporte de passageiros estavam paralisados desde Março último, sendo que a retomada da circulação ocorre depois da criação de condições de segurança para a protecção dos passageiros e funcionários do CFB, no quadro das medidas preventivas da Covid-19.

Para esta fase, foram estabelecidas duas viagens para o percurso Luena-Huambo, sendo à Segunda e Quarta-feira e igual número de frequências no percurso inverso (Huambo-Luena).

A direcção do CFB estipulou para a primeira classe, o valor de 7.350 Kwanzas, como preço do bilhete, enquanto para a segunda e terceira classes custam 4.900 e 2.450 Kwanzas, respectivamente.

Passageiros enaltecem retorno O retorno das viagens do CFB é aplaudido pelos usuários que vêm na medida como mais um passo para a retoma da vida económica da região.

Segundo contaram os passageiros que aguardam na Estação Ferroviária do Cunje (Cuito) viagem para o Moxico, alguns dos quais da Lunda-Norte e Lunda-Sul, esta decisão é um alívio, tendo em conta a falta de transporte rodoviário no eixo Bié-Moxico e vice-versa.

O comerciante Jorge Kamuimba diz ter ficado desde Março último na cidade do Cuito devido à pandemia, admitindo que a circulação dos comboios traz vantagens para o comércio e transportação de pessoas.

Residente no Moxico, Jorge Kamuimba lembra que os passageiros ao optarem pelo CFB também poupam, porquanto o bilhete custa AKZ. 2.500 no comboio normal, ao passo que no especial AKZ.4.950, uma vez que não há circulação de viaturas entre as duas províncias (Bié-Moxico) devido ao mau estado da Estrada EN250.

Já a cidadã Rosa Venâncio, da região da Lunda-Sul, destacou a necessidade de as autoridades continuarem a manter operacionais os comboios, apesar da Covid-19, por diminuir o número de cidadãos “retidos” no Cuito, por falta de transporte.

Para Daniela da Maia Upale é o concretizar do desejo de regresso ao Huambo, onde vai visitar a família.

“A ansiedade era tanta, mas, finalmente, vou conseguir ver a família, depois de levantamento da cerca sanitária, provocada pela proliferação do novo coronavírus no país”, referiu.

No dia 4 do mês em curso, os Governos do Moxico, Bié e a Direcção do CFB mantiveram um encontro, na aldeia de Moximonge, comuna do Munhango (Cuemba), que marcou o ensaio da proposta de medidas de segurança e de prevenção, de modo a observarem-se as normas de biossegurança.

À propósito, o governador do Moxico, Gonçalves Muandumba, garantiu que o seu governo tem criadas equipas sanitárias que deverão ensaiar o novo método de funcionamento dos comboios na referida via.

Apontou que o pacote de medidas de prevenção a adoptar contempla a higienização das carruagens, lavagens das mãos com água e sabão, uso obrigatório das máscaras, distanciamento entre os passageiros, entre outros meios de biossegurança.

Frisou que o Governo pretende também coordenar, com os funcionários do CFB, as formas de sensibilização dos passageiros para o cumprimento rigoroso das regras a serem estabelecidas pelas autoridades competentes.

Por seu turno, o governador da província do Bié, Pereira Alfredo, augurou, na altura, que a população cumpra as soluções colectivas adoptadas para a circulação com segurança dos comboios para permitir o desenvolvimento da região.

Na ocasião, Pereira Alfredo apelou a população a tirar vantagem da existência dos comboios, aproveitando o potencial económico de ambas as províncias para transformar riqueza para o bem-estar das suas famílias.

error: Content is protected !!