Jovem morto a tiro supostamente pela Polícia no Prenda

Moradores do bairro Prenda, em Luanda, nos Lotes 9 e 10, registaram a morte de um jovem, de 23 anos, que respondia pelo nome de José Teokamba Manuel, por disparo de arma de fogo efectuado supostamente por agente da Polícia Nacional, quando tentavam dispersar um grupo de jovens que se encontrava no local e hora imprópria face ao cumprimento da situação de calamidade

O facto aconteceu na madrugada do dia 12, Domingo, quando agentes da Polícia Nacional, no cumprimento da fiscalização das medidas a vigorar durante a Situação de Calamidade Pública, efectuavam serviço de patrulhamento na zona, e depararam-se com um aglomerado de jovens, em horário e local não autorizados.

Neste grupo de jovens estava José Teokamba Manuel e o seu amigo Maurício José Isabel, este último de 17 anos, que foram vítimas dos disparos efectuado supostamente por um polícia. O primeiro acabou perdendo a vida, sendo que o segundo ficou ferido e foi prontamente socorrido numa unidade hospitalar.

A população local diz ter havido excesso por parte da Polícia, pois não havia necessidade de se fazer disparo, e por isso, isso causou revolta ao ponto de saírem em manifestação. A manifestação dos moradores foi acompanhada de queima de pneus e colocação de barricadas na via principal, que fez com que a Polícia pedisse reforço para os dispersar.

A Polícia Nacional em Luanda, na voz do porta-voz, Nestor Goubel, reconheceu o facto e acrescentou que na intervenção dos agentes, por imprudência, um dos efectivos efectuou disparos com arma de fogo, atingindo, mortalmente, o cidadão que, em vida respondia pelo nome de José Teokamba Manuel, de 23 anos de idade.

O porta-voz disse ainda que o autor dos disparos, agente da Polícia, já se encontra detido, para responsabilização disciplinar e criminal. ⠀

José Teokamba Manuel era mototaxista, segundo a vizinhança, e estava a conviver com os amigos, dentre eles Maurício José Isabel, que foi atingido no membro inferior direito. Maurício recebeu cuidados médicos num hospital local e lembra que estavam à beira estrada, os dois usavam máscaras, e a dada altura ouviram disparos que infelizmente atingiram mortalmente o amigo.

“O Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional de Angola lamenta a morte do cidadão, endereça à família os profundos sentimentos de pesar e apela aos cidadãos a manterem à calma e a observarem as medidas e as orientações das forças da ordem face à Situação de Calamidade Pública que vigora no país”, lê-se, no comunicado da Polícia, assinado por Nestor Goubel.

error: Content is protected !!