Mais de 90 pessoas venceram o novo Coronavírus e criaram imunidades

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, revelou, ontem, em Luanda, que 93 das 2.400 pessoas que fizeram testes serológicos rápidos no Parlamento e no Palácio da Justiça, estiveram expostas ao vírus SARS-CoV2 e os seus organismos conseguiram construir a defesa

O governante, que falava na habitual actualização diária dos dados sobre a pandemia no país, no CIAM, em Luanda, esclareceu que durante as duas operações de testagem em massa, realizadas em simultâneo, detectaram que 111 pessoas foram reactivas, sendo que 11 estão na fase activa e sete na fase transitória.

No período em referência foram detectados ainda 16 novos casos infectados nesta cidade, dos quais 11 são do sexo masculino e cinco do sexo feminino, com idades compreendidas entre 5 e 68 anos.

Segundo Franco Mufinda, na Assembleia Nacional foram testadas 1200 pessoas, das quais 51 foram reactivas e os exames de 42 pessoas atestaram que possuem construção de imunidade, ou seja, com o bio-marcador IgG no sangue. Os resultados apontam ainda que seis pessoas estariam na fase activa da doença, com expressão bio-marcador IgM, enquanto três pessoas foram detectadas com a combinação IgG -IgM de forma transitória. Já no Palácio da Justiça, foram testadas igual número de pessoas (1200) e, dentre elas, 60 foram reactivas, sendo 51 com o bio-marcador IGG, ou seja, pessoas que já passaram pela exposição e conseguiram construir defesas, cinco na fase activa da doença (biomarcador IgM) e quatro na fase transitória (IgG-IgM), disse o secretário de Estado para a Saúde Pública.

Franco Mufinda explicou que o bio-marcador IGG significa que as pessoas, em algum momento, tiveram contacto com o vírus e, por vários factores, expressaram a defesa e construíram imunidade, sendo que “o organismo lutou e conseguiu controlar a força do vírus”.

No entanto, disse que enquanto cinco pessoas estão na fase da doença, quatro estão na fase de transição. Somando esses números dá um total de nove pessoas, representando, assim, a quantidade de indivíduos que, a priori, foram a isolamento.

“Nós realizamos a colheita através da zaragatoa a todas as pessoas que foram reactivas, ou seja, 60 no Palácio da Justiça e 51 na Assembleia Nacional. São dados não conclusivos. O que se faz a seguir é, justamente, uma análise na base do que nós chamamos de RT-PCR, com base na biologia molecular que nos vai dizer se a pessoa tem mesmo o SARSCoV2 ou não”, explicou.

Disse ainda que com os 16 casos de Covid-19 detectados nas últimas 24 horas perfaz um total de 541 infectados, dos quais 26 resultaram em óbito, 118 estão recuperados e 397 casos estão activos. Dentre estes, seis requerem cuidados especiais e os restantes estão clinicamente estáveis.

A estatística aponta para a existência de 475 casos de transmissão local, sendo que as zonas mais afectadas continuam a ser a Ingombota, Maianga, Belas e Viana.

Lunda-Norte e Huíla entre as províncias com casos de IGM

O secretário de Estado para a Saúde Pública fez saber que os resultados das actividades de rastreio da Covid-19 com o teste serológico, nas últimas 24 horas, em algumas províncias reportadas foram Cuanza-Norte com 24 casos de IGM; três casos na Huíla, Lunda-Norte e Uíge cada uma; dois casos em Cabinda e Benguela, respectivamente, e um caso no Cunene.

Salientou que estes não são dados definitivos. Entretanto, reiterou o apelo ao uso obrigatório da máscara, a lavagem frequente das mãos, o distanciamento físico, a não violação das cercas sanitárias, bem como o acatamento das medidas contidas no decreto sobre o estado de calamidade pública. Advertiu que o problema da Covid-19 é de responsabilidade individual e colectiva.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu, nas últimas 24 horas, 111 chamadas, das quais duas foram denúncias de casos suspeitos de Covid-19, 10 denúncias de violação do Estado de Calamidade e 99 pedidos de informação sobre o vírus.

De recordar que o novo Coronavírus (SARS-CoV), responsável pela pandemia da Covid-19, surgiu na China, em Dezembro de 2019.

O surto espalhou-se pelo mundo e vitimou mais de meio milhão de pessoas, tendo levado a OMS a declarar uma situação de pandemia global.

Três em cada 100 pessoas estiveram expostas ao SARSCoV-2

Desde que teve início a testagem em massa, já foram realizados 15.139 testes serológicos rápidos, dos quais 590 foram reactivos, o que significa que 3,9 em cada 100 pessoas rastreadas estiveram expostas ao SARSCoV- 2, segundo Franco Mufinda.

Explicou que só ontem foram processados 4.883 testes rápidos em todo o país, dos quais 185 foram reactivos, mantendo a taxa segundo a qual 3,8 em cada 100 pessoas rastreadas estiveram expostas ao SARSCoV-2.

O secretário de Estado para a Saúde Pública disse que nas últimas 24 horas foram processadas em todo o país 2.874 amostras, das quais 16 foram positivas e 2.858 negativas. Do total de amostras, disse ele, o país, até à data presente, tem um total de 41.919 amostras recebidas, das quais 541 positivas, 36.520 negativas, sendo que o restante se encontra em processamento.

Entretanto, Franco Mufinda disse que 898 pessoas observam a quarentena institucional em todo o país e que nas últimas 24 horas atribuiu-se alta a 17 pessoas, sendo seis na província de Luanda, cinco no Cuando Cubango, três no Huambo, duas no Bié e uma na Lunda-Norte. Fez saber que há 572 casos suspeitos investigados, enquanto os contactos sob vigilância chegam a 2.332 pessoas.

error: Content is protected !!